Empresa enfraqueceu frente Android e Apple

Protóripo do
Reprodução
Protóripo do "Sea Ray", primeiro smartphone da Nokia com Windows Phone pode ser apresentado nesta semana
Redação Central, 25 out - O executivo-chefe da Nokia, Stephen Elop, oferecerá nesta quarta-feira detalhes sobre os smartphones com o sistema operacional Windows Phone durante a conferência inaugural de seu evento corporativo, o Nokia World, em Londres.

Desde que a Nokia anunciou em abril seu acordo com a Microsoft, o público espera ver os primeiros celulares com esta nova plataforma de software, cujo lançamento está previsto para o final do ano. Não era segredo que a Nokia tinha problemas com seu sistema operacional, o Symbian, e que seu empenho em mantê-lo a enfraqueceu no mercado frente ao Android, do Google, e ao iOS, da Apple.

Até mesmo Elop reconheceu: "(O Symbian) era cada vez mais frágil e instável e levava cada vez mais tempo para ser atualizado", disse o executivo, que chegou à Nokia em 2010 depois de sua passagem pela Microsoft. A empresa de consultoria Gartner estima que o acordo entre as duas empresas fará com que as vendas de smartphones Windows Phone 7 ocupem o segundo lugar do mundo em 2015, com uma fração de mercado de 19,5%.

As perspectivas desta empresa posicionam o Android como líder do mercado em 2015 com vendas de 577,3 milhões de unidades, seguida pelo Windows Phone da Microsoft, com 239,4 milhões. Gartner espera que o rebote do Windows Phone ocorra em 2012, quando se estima uma venda de 42,6 milhões de móveis Symbian frente aos 96,1 milhões deste ano, enquanto o Windows Phone passará de 12,8 milhões de unidades deste ano para 63,6 milhões em 2012.

No meio do ano, a Nokia perdeu o primeiro lugar na classificação de fabricantes de celulares para a Apple, segundo a Strategy Analytics. Durante o último ano, a empresa finlandesa perdeu 45% de seu valor na bolsa. Em abril, a Nokia anunciou cortes de 7 mil empregos antes do final de 2012 e, em setembro, manifestou sua intenção de fechar uma fábrica em Cluj (Romênia) além de despedir cerca de 3,5 mil empregados para reduzir custos e melhorar a rentabilidade.

Muita expectativa recai sobre Stephen Elop nesta quarta-feira, já que o Windows Phone pode ser o responsável da recuperação da Nokia no futuro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.