De acordo com pesquisa, 37% dos brasileiros entrevistados têm desktops, contra 16% de notebooks

Apesar do crescimento nas vendas de notebooks e tablets, os brasileiros ainda possuem mais desktops, os computadores de mesa. De acordo com números divulgados hoje pelo Ibope, em parceria com a Worldwide Independent Networf of Market Research (WIN), 37% dos brasileiros entrevistados têm desktops, enquanto 16% possuem notebooks.

Notebooks são menos populares do que desktops no Brasil
Getty Images
Notebooks são menos populares do que desktops no Brasil
No mundo, a posse de desktops vem caindo nos últimos anos. A pesquisa do Ibope aponta que, em 2011, o número de entrevistados em todo o mundo que possuíam este tipo de computador caiu de 73% para 68%. A posse de notebooks, apesar de não crescer, se manteve estável em cerca de 60%.

Para fazer o estudo, o Ibope e a WIN entrevistaram 40,5 mil pessoas em 44 países. No Brasil, foram mais de 2 mil entrevistas com homens e mulheres com idade a partir de 16 anos de todas as classes sociais.

Intenção de compra

O estudo realizado pelo Ibope/WIN também considerou a intenção de compra dos consumidores. Os dados mostram que a maioria dos consumidores entrevistados (32%) tem a intenção de comprar um notebook com seu próximo computador. Outros 24% declararam que pretendem comprar um tablet, enquanto 22% têm a intenção de comprar um desktop.

A pesquisa mostra que a Dell é a marca preferida tanto para notebooks (18%) como para desktops (15%), seguida pela Apple com 16% em notebooks e 13% em desktops. Outras marcas como HP, Acer e Samsung também aparecem no ranking divulgado pelo Ibope/WIN.

No mercado de tablets, a Apple é a marca mais desejada pelos consumidores que pretendem comprar tablets. Quase metade daqueles que planejam comprar um dispositivo deste tipo durante 2012 afirma que escolherá o iPad. Os tablets da Samsung representam 12% das intenções de compra, seguida pela Dell, Amazon, Sony e BlackBerry (RIM), respectivamente.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.