Algoritmo colocará sites que usam técnicas não permitidas pelas diretrizes de qualidade do Google em posições inferiores

O Google anunciou hoje que lançará um novo algoritmo nos próximos dias que permitirá que sites com melhor nível de qualidade apareçam primeiro entre os resultados de busca. Apesar de não divulgar os critérios para considerar um site de qualidade, o Google afirma que são os sites que usam técnicas de otimização de buscas (SEO, na sigla em inglês) permitidas pelas diretrizes de qualidade do Google. "Técnicas efetivas de SEO podem tornar um site mais fácil de achar", diz Matt Cutts, engenheiro do Google.

Sites com links não relacionados em meio ao conteúdo oferecido não serão priorizados entre resultados da busca
Reprodução
Sites com links não relacionados em meio ao conteúdo oferecido não serão priorizados entre resultados da busca
Na mensagem publicada no blog oficial , Cutts afirma que o trabalho no novo algortimo será distinguir sites que utilizam as técnicas de SEO permitidas (classificadas como "white hat") e os sites que usam essas técnicas de maneira maliciosa, para ganhar posições no ranking do Google, mesmo sem oferecer conteúdo de qualidade.

"Perseguindo altas taxas de tráfego, alguns sites usam técnicas de SEO que não beneficiam os usuários. Elas buscam colocar esses sites numa posição melhor do que merecem entre os resultados de busca", diz Cutts.

O novo algoritmo de busca começará a funcionar ao mesmo tempo para todos os idiomas, de acordo com o Google. Essa mudança, segundo Cutts, afetará 3,1% dos resultados da versão americana da busca do Google. "Os usuários comuns nem vão notar", diz o engenheiro do Google. A mudança também afetará mais ou menos a mesma porcentagem de resultados de busca nas versões alemã, chinesa e arábica. O impacto, no entanto, pode ser maior em idiomas mais afetados pelo problema, como na Polônia.

Mudanças priorizam conteúdo original

Desde o início de janeiro de 2011, o Google vem fazendo diversas mudanças nos algoritmos de busca para priorizar sites que ofereçam conteúdo original em detrimento de sites que oferecem conteúdo replicado de outros sites ou que possa confundir os internautas. No início, as mudanças afetavam apenas a busca em inglês, mas, aos poucos, foram colocadas em prática nas versões da busca em outros idiomas.

As primeiras mudanças realizadas pelo Google na busca afetaram muitos sites que apareciam entre os resultados. Em fevereiro de 2011, o Google divulgou que 11,8% das solicitações de busca passaram a oferecer resultados distintos por conta da modificação. No Brasil, este novo algoritmo passou a funcionar em agosto do ano passado e afetou 9% das solicitações de busca em português.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.