Na operação, policiais mataram o cachorro de John McAfee. Ele alega que foi vítima de armação de político local

John McAfee, fundador da empresa de segurança digital McAfee, foi preso no início dessa semana em sua casa em Belize, acusado de porte ilegal de arma. Ele foi solto cerca de 20 horas depois, após a intervenção da embaixada dos Estados Unidos.

Em texto publicado no site de notícias News5 , John McAfee alega ter sido vítima de armação. O executivo conta que, na última segunda-feira (30/04), cerca de 30 policiais das forças especiais de Belize fortemente armados invadiram sua propriedade. Os policiais alegaram ter um mandado de busca, vasculharam a propriedade em busca de armas e o algemaram.

McAfee diz ter ficado 14 horas algemado no jardim de sua propriedade sem água ou comida. Durante a operação, segundo o executivo, os policiais teriam matado seu cachorro.

McAfee diz ainda que um dos policiais teria pegado as licenças de cada uma de suas armas e sumido com uma delas para forjar a alegação de porte ilegal de armas. Já na delegacia, McAfee forneceu cópias dos portes de arma e foi liberado, mas somente após intervenção da embaixada americana.

Segundo o executivo, a operação teria sido uma retaliação. Semanas antes, McAfee tinha se recusado a doar dinheiro a um político local.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.