Google e Mozilla acusam Microsoft de competição desleal

Internet Explorer terá acesso privilegiado aos recursos do Windows 8 RT, a versão do Windows 8 para tablets

iG São Paulo |

Em texto publicado eu seu site, a Fundação Mozilla, que faz o navegador Firefox, acusa a Microsoft de dar uma vantagem desleal a seu próprio navegador, o Internet Explorer, no sistema Windows 8. A reclamação da Mozilla se refere à versão para tablets do Windows 8, que chegará ao mercado no segundo semestre deste ano.

Leia também:
8 novidades do Windows 8

No Windows 8 para tablets (chamado de WIndows 8 RT), o Internet Explorer será o único navegador autorizado a acessar determinados recursos do sistema.

Reprodução
Com visual bem diferente do Windows de hoje, Windows 8 chega no segundo semestre
Para a Mozilla, na prática, isso impede que outras empresas criem navegadores de boa qualidade. Assim, a Microsoft estaria efetivamente impedindo que outras empresas criassem navegadores para tablets com Windows 8 RT.

O Google, responsável pelo navegador Chrome, concorda com a posição da Mozilla. Em comunicado ao site Cnet, a empresa de busca afirma que "sempre apoiamos a inovação em navegadores web e acreditamos que ter competidores fortes nos faz trabalhar melhor".

Tanto Mozilla quanto Google já trabalham em versões do Firefox e do Chrome para Windows 8. Mas essas versões rodarão apenas na versão do Windows 8 para computadores e notebooks.

A resposta da Microsoft

A Microsoft ainda não se pronunciou publicamente sobre o assunto. Porém, ao site Cnet, Harvey Anderson, da Mozilla, disse ter entrado em contato com a empresa. Um representante da Microsoft teria explicado para Anderson as duas razões para restringir o acesso total ao sistema apenas ao navegador Internet Explorer.

A primeira razão é que o WIndows 8 para tablets rodará em chips com arquitetura ARM, diferente da arquitetura x86 usada em PCs e notebooks. Segundo a Microsoft, a arquitetura ARM tem requisitos diferentes de segurança e desempenho e a Microsoft seria a única com capacidade de atender essas exigências.

A segunda razão é que, segundo a Microsoft, o Windows 8 RT "não é mais Windows". Com isso, a empresa quer dizer que boa parte o código usado no WIndows 8 RT é muito diferente da versão para computadores, o que mudaria também os requisitos mínimos de desenvolvimento.

Anderson, da Mozilla, rebate os argumentos. Para ele, a Fundação Mozilla já tem experiência em criar navegadores para diferentes combinações de sistemas e arquiteturas de processador. E criar uma versão completa para Windows 8 em chips ARM não seria um problema. E a ideia que o WIndows 8 RT não é Windows "não faz nenhum sentido".

Leia tudo sobre: mozillagooglemicrosoftwindows 8

Notícias Relacionadas


    Mais destaques

    Destaques da home iG