União Internacional de Telecomunicações aponta uso crescente do serviço, mesmo com difícil acesso a banda larga em diversos países

O número de pessoas cadastradas em redes sociais superou a marca de 1 bilhão, de acordo com novos dados de um relatório divulgado pela União Internacional de Telecomunicações (UIT). Apesar de divulgado pela primeira vez, o número já era esperado, dado o alcance da rede social Facebook, a mais popular do mundo com 901 milhões de usuários ativos .

LEIA TAMBÉM:
Facebook supera marca dos 900 milhões de usuários
O guia completo do Facebook

Facebook impulsiona uso de redes sociais em todo o mundo
Divulgação
Facebook impulsiona uso de redes sociais em todo o mundo
O estudo aponta que, embora a web tenha redes sociais de grande alcance, como o próprio Facebook, Twitter (mais de 200 milhões de usuários ) e LinkedIn (mais de 120 milhões), a maior parte das redes sociais em operação fazem sucesso entre internautas de uma região específica. Serviços como o QQ, na China, Orkut, no Brasil , e Mixi, no Japão, são alguns dos destacados pela UIT.

A maioria dos usuários de redes sociais, segundo o relatório da UIT, têm acesso aos serviços por meio de dispositivos móveis, como celulares e tablets.

Apesar disso, nos países em desenvolvimento, apenas 8,5% da população têm acesso a banda larga móvel - o serviço que permite navegar nas redes sociais por meio de smartphones e tablets. Nestes países, algumas redes sociais também oferecem acesso por meio de celulares básicos, em parcerias com operadoras.

O aumento das conexões de banda larga fixa em todo o mundo também impulsionou o uso de redes sociais. De acordo com a UIT, o número de conexões de banda larga fixa dobrou nos últimos cinco anos em todo o mundo e, no início de 2012, chegou a 591 milhões. Contudo, este serviço está disponível para apenas 26% da população de países industrializados. Nos países em desenvolvimento, a penetração é ainda mais baixa: apenas 4,8% da população têm banda larga fixa.

No total, a UIT estima que 5 milhões de pessoas nunca tiveram acesso a internet por meio de uma conexão própria de baixa velocidade ou só tiveram acesso por meio de computadores e conexões compartilhadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.