Glass Project é a iniciativa do Google para criar óculos com realidade aumentada

selo

A gigante de buscas Google patenteou a tecnologia por trás de seus óculos de realidade aumentada, conhecido como " Google Glass Project ". Três patentes de um "dispositivo de exibição" para usar no rosto, com características dos muito falados óculos futuristas foram submetidos a autoridades no último outono (no Hemisfério Norte).

Modelo mostra o protótipo do Google Glasses, que permitirá ver informações da web sem usar o celular ou tablet
Divulgação
Modelo mostra o protótipo do Google Glasses, que permitirá ver informações da web sem usar o celular ou tablet
As patentes fazem referência a funções como a exibição de dados diante dos olhos do utilizador e reprodução de áudio. Em abril, o Google revelou detalhes de sua pesquisa sobre os óculos e mostrou um vídeo de demonstração do protótipo. As patentes mostram imagens de diferentes versões de óculos de realidade aumentada, alguns com lentes e outros sem.

O Google está trabalhando no projeto em seu laboratório de pesquisa, o Google X. Os protótipos estão sendo testados atualmente por executivos da empresa, incluindo Sergey Brin, co-fundador da empresa, e Vic Gundotra, executivo encarregado de redes sociais.

O vídeo demonstrou uma simulação da visão dos óculos equipados com um microfone e uma pequena tela transparente sobre o olho direito do usuário. Além de exibirem informações sobre os arredores, os óculos possibilitariam a comunicação com outras pessoas, navegar na web, ouvir música e tirar fotos também.

Tecnologia semelhante

Há outras empresas que pesquisam os óculos de realidade aumentada. Por exemplo, a empresa californiana Oakley desenvolve óculos destinados a atletas. Um número de empresas tentou ser pioneiro do conceito, mas não foram muito longe porque, segundo analistas, as suas versões exigiam que os usuários carregassem uma bateria separada.

"Há grandes oportunidades para a publicidade personalizada com os sistemas de realidade aumentada - especialmente se eles têm embutido o rastreio de localização GPS," disse Chris Green. "As oportunidades de monetização seriam enormes - mas ainda há grandes questões envolvidas, com a diminuição física do aparelho e fazer com que o computador que recebe e processa os dados seja realmente portátil."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.