Segundo novo estudo do Comitê Gestor de Internet, do total de domicílios que tem computador, apenas 38% está conectado a web

Um novo estudo do Comitê Gestor da Internet (CGI), divulgado hoje (31), mostra que quase metade dos domicílios brasileiros já possui pelo menos um computador. Do total de 25 mil casas visitadas pelo órgão em 317 municípios, nas áreas urbanas e rurais, 45% dos moradores declarou tem um computador próprio. Contudo, a maioria desses computadores está desconectado da web: apenas 38% das casas possuem conexão banda larga.

Apesar de ter mais da metade da população sem acesso às tecnologias, a situação do Brasil evoluiu nos últimos anos. De acordo com o CGI, o número de domicílios com conexão de internet aumentou 10 pontos percentuais no último ano. O número de casas com conexão de internet cresce no mesmo ritmo: subiu de 27%, em 2011, para 38%, em 2012.

Maioria dos domicílios no Brasil tem computador, mas sem conexão de internet
Getty Images
Maioria dos domicílios no Brasil tem computador, mas sem conexão de internet
Uso de notebooks dobra na classe C

Os computadores de mesa (desktops) continuam sendo os computadores mais populares nos domicílios visitados pelo CGI. Do total de casas com computador, 79% delas tinham um desktop. O número de casas com notebooks ficou em 39%. A proporção de uso dos dois tipos de máquinas, no entanto, está se invertendo: em 1995, 95% usavam desktop, enquanto apenas 10% adotavam notebooks.

De acordo com o CGI, um quarto da amostra de domicílios (cerca de 2,5 mil) pertencem à classe C. Neste segmento da população, a posse de notebooks dobrou no último ano e hoje é de 28% do total. Na classe A, o número de casas com notebook é equivalente ao de casas com desktop - 81% e 82%, respectivamente. Os tablets estão presentes em apenas 1% dos domicílios com computador - mas são 10% entre as casas de classe A.

Internautas representam 50% da população

O número de brasileiros que declararam ter navegado na internet nos últimos três meses, os chamados usuários ativos de internet, aumentou de 41%, em 2011, para 45%. Os domicílios continuam sendo o local mais usado para acessar a internet, com 68%, quase duas vezes mais citado do que as lanhouses. O acesso a partir de lan houses decresceu 18% em um ano, enquanto o acesso domiciliar subiu 20%, o que sugere que a população está tendo maior acesso a serviços de banda larga.

O uso de internet no celular avançou 12 pontos percentuais em relação a 2011, de acordo com o CGI. O maior aumento foi entre os usuários de celulares pré-pagos. No total, o número de usuários de internet no celular chegou a 17% do total. O uso de banda larga móvel (modem 3G) também aumentou mais do que a banda larga fixa no período.

“Isso significa que em 2011, a banda larga móvel foi a principal responsável pelo crescimento na proporção de conexões de banda larga no país. Além disso, pela primeira vez, as conexões via banda larga móvel ultrapassam o acesso discado, que está em franco declínio”, destaca Alexandre Barbosa, gerente do Cetic.br.

Falta de acesso é maior em regiões rurais

Apesar do crescimento no uso de internet no Brasil, nas áreas rurais 90% dos domicílios não possuem conexão de internet. No Nordeste, este número é de 79%. Os domicílios das classes D e E também estão à margem da internet no País: 86% dos entrevistados declararam não ser usuários de internet - na classe A, o índice é de apenas 8% do total.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.