Fabricado pela Bell Labs, satélite tinha capacidade para garantir conexão durante apenas 20 minutos, enquanto transitava sobre o Oceano Atlântico

AFP

WASHINGTON - Há 50 anos, em 12 de julho de 1962, o satélite americano Telstar transmitiu as primeiras imagens televisionadas ao vivo entre os Estados Unidos e a França, inaugurando a era da comunicação global.

Gráfico do Bell Telephone Laboratories divulgado em 1962 mostra a composição do Telstar
Divulgação
Gráfico do Bell Telephone Laboratories divulgado em 1962 mostra a composição do Telstar

O Telstar-1, o primeiro satélite de telecomunicações fabricado pela empresa Bell Labs (AT&T), foi lançado em 10 de julho, de Cabo Cañaveral, Flórida, para ser colocado numa órbita elíptica que variava de 950 km a 5.630 km do solo.

De forma esférica, com um diâmetro de 88 centímetros e 77 kg, o satélite que dava a volta ao mundo em 02H30 só conseguia garantir a conexão durante os 20 minutos em que se encontrava sobre o Oceano Atlântico.

Duas estações em terra acompanhavam seu trajeto: uma em Andover, no estado do Maine (EUA), e outra em Pleumeur-Bodou, nordeste da França. Estas estações estavam equipadas com grandes antenas que podiam girar sobre si mesmas para captar os sinais.

Onze dias depois da emissão das primeiras imagens televisionadas entre as estações de Andover e Pleumeur-Bodou, foram transmitidos os primeiros programas ao público dos canais americanos CBS, NBC e ABC, do canadense CBC e da Eurovision na Europa.

A Estátua da Liberdade em Nova York e a Torre Eiffel em Paris foram as primeiras imagens que os telespectadores de ambos os lados do Atlântico viram na telinha da tv.

"Foi um desses raros momentos na televisão que obriga os espectadores a se inclinar e observar fixamente sua tela em um estado puro de assombro", afirmou Walter Cronkite, o lendário jornalista da CBS.

"As transmissões televisionadas ao vivo de eventos que aconteciam no mundo são consideradas hoje como moeda corrente, mas há 50 anos as primeiras imagens transmitidas pelo Telstar ganharam toda a atenção e cativaram a imaginação do público em todo o mundo", destaca em um comunicado o secretário do Museu do Ar e do Espaço em Washington, Wayne Clough.

"Este 50º aniversário nos recorda os enormes avanços alcançados desde que se compreendeu o potencial dos satélites de telecomunicações até a nova era das comunicações digitais", acrescentou.

O projeto Telstar foi lançado pelos Estados Unidos em resposta à colocação em órbita do primeiro satélite artificial da História, o Sputnik, que foi lançado pela União Soviética em 1957.

Com a necessidade de estabelecer estações terrestres, os americanos convidaram a participar do projeto os governos europeus, o que resultou num acordo entre o Bell Telephone Laboratories, a Nasa, o British General Office e a Administração Francesa de Correios, Telégrafo e Comunicações (PTT).

No entanto, os equipamentos eletrônicos a bordo do Telstar falharam poucos meses depois de sua colocação em órbita devido à radiação causada pelos testes nucleares dos Estados Unidos e da União Soviética.

O satélite foi responsável pela transmissão de mais de 400 comunicações telefônicas, por telégrafo, fax e televisão antes de sua missão ter fim. Segundo o registro americano de objetos no espaço, o satélite permanece em órbita.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.