Declarações de juiz em congresso sobre direitos autorais usou argumentos parecidos com os dos advogados do fundador do Megaupload

Kim DotCom, do Megaupload: programador gostava de exibir suas aquisições na web
Reuters
Kim DotCom, do Megaupload: programador gostava de exibir suas aquisições na web

O juiz David Harvey, responsável pelo caso Megaupload na corte da Nova Zelândia, anunciou hoje que abandonará o julgamento. Ele deixou o caso após declarar, em uma conferência sobre direitos autorais, que "nós já conhecemos o inimigo e este inimigo são os Estados Unidos".

Segundo o site Ars Technica , críticos argumentam que o juiz favoreceu Kim Dotcom, fundador do Megaupload e alvo da investigação, com a frase e, por isso, ele resolveu se retirar.

"Ele reconheceu que frases ditas em um contexto de um artigo que ele defendeu sobre a lei de direitos autorais em uma conferência recente sobre internet pode refletir em sua imparcialidade e a resposta apropriada é que ele se afaste do caso", disse Jan-Marie Doogue, juiza-chefe da corte da Nova Zelândia, ao jornal New Zeland Herald.

Com o discurso, Harley usou argumentos parecidos com os usados pelos próprios advogados de Kim DotCom. No passado, o juiz já havia pedido aos EUA que Kim Dotcom acessasse os dados dos discos rígidos confiscados pelo Federau Bureau of Investigation (FBI), quando o executivo foi preso. Ele também garantiu que DotCom pudesse voltar para sua casa e ficasse sem câmeras de vigilância.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.