Empresa usou código em página de busca para burlar opção do Safari de bloquear a instalação de arquivos de monitoramento de atividades online, os cookies

O Google pagará US$ 22,5 milhões (cerca de R$ 45,4 milhões) em um acordo para retirar acusações de que violou configurações de privacidade de clientes na utilização do navegador de internet Safari, da Apple, informou a Comissão Federal de Comércio (FTC, na sigla em inglês) nesta quinta-feira (9).

O negócio finaliza uma investigação da FTC sobre alegações de que o Google utilizou arquivos conhecidos como "cookies" para enganar o Safari nos dispositivos móveis iPhone e iPad. O objetivo era de monitorar a atividade online de usuários que bloqueassem a utilização dos próprios "cookies", uma opção padrão do Safari.

A investigação, que começou em fevereiro de 2012, mostrou que o Google usava esta estratégia para permitir que os usuários "curtissem" anúncios usando o botão +1. Na época, o Google negou as acusações. 

Essa prática é uma violação de um decreto acordado em 2011 e que foi negociado entre o maior mecanismo de busca na internet e a FTC.

*Com informações da Reuters.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.