Sites com alto número de reclamações por direitos autorais passarão a aparecer em posições mais baixas do ranking de resultados de busca

O Google anunciou na tarde desta sexta-feira (10) que usará o número de reclamações por direitos autorais contra sites em seu algoritmo de buscas. Isso significa que, a partir da próxima semana, os sites com alto número de reclamações relacionadas a direitos autorais podem ficar em posições mais baixas no ranking de resultados de busca.

Segundo Amit Singhal, vice-presidente de engenharia do Google, a mudança ajudará os internautas a encontrar fontes legítimas de conteúdo de maneira mais fácil, como uma série de TV disponível em um serviço de streaming, como Hulu ou Netflix, ou uma nova música no acervo de serviços como Rdio ou Spotify. A medida prejudicará, principalmente, sites de compartilhamento de arquivos que hospedam cópias piratas de filmes e músicas.

De acordo com o Google, somente no último mês, a empresa recebeu pedidos para a retirada de mais de 4,3 milhões de URLs. Isso representa mais pedidos que a empresa processou durante todo o ano de 2009.

O Google avisa que não retirará nenhuma URL de site dos resultados de busca, independente da quantidade de reclamações por direitos autorais registrada. A retirada só acontecerá, como já acontece atualmente, caso o Google receba uma ordem judicial de retirada com o pedido do detentor dos direitos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.