Amazon abandona mapas do Google no Kindle Fire e adotará serviço da Nokia

Nova versão do tablet da Amazon deve ser anunciada na próxima semana, junto como nova linha de e-readers Kindle Touch

Reuters |

Reuters

SAN FRANCISCO - O novo Kindle Fire, da Amazon, terá serviços de mapas fornecidos por meio de uma parceria com a Nokia, afirmaram duas fontes à Reuters, o que preencherá uma lacuna nas capacidades do tablet da varejista e deixará de lado o popular serviço de mapas do Google.

Getty Images
Kindle Fire, o primeiro tablet da Amazon

A Amazon lançará pelo menos uma nova versão do tablet Kindle Fire na próxima quinta-feira. A companhia dotará o novo modelo de capacidade de localização, o que requer ou um chip de GPS ou um processo conhecido como triangulação de Wi-Fi, disseram as fontes.

Os serviços de mapeamento, recursos populares nos tablets, tipicamente incluem mapas de rua, informações sobre estabelecimentos próximos ao usuário e, em certos casos, informações sobre trânsito. Podem também ser usados para instruções de navegação e com aplicativos de terceiros como de serviços de viagens.

O tablet Google Nexus 7, que concorre diretamente com o Kindle Fire, conta com chips de GPS para funções de mapeamento e localização.

O primeiro Kindle Fire foi lançado ano passado e, ao preço de 199 dólares, custa 50 por cento menos que o Apple iPad mais barato, o que ajudou o aparelho a conquistar aceitação rápida entre os consumidores. Na quinta-feira, a Amazon anunciou que os estoques do Kindle Fire estavam completamente esgotados.

Os analistas dizem que o aparelho com tela de sete polegadas ajuda nas vendas de mídias digitais tais como livros eletrônicos e música, o que impulsiona o crescimento do varejo, a atividade central da Amazon.

A companhia pode mostrar versões maiores do Fire na quinta-feira em Los Angeles, que concorrerão mais diretamente com o iPad.

Ainda que o Kindle opere com uma versão mais antiga do Google Android, adaptado pela Amazon para criar um sistema operacional próprio, o Google Maps não está integrado ao aparelho. Isso significa que os usuários só podem usar o Google Maps por meio de um navegador de web ou de aplicativos de terceiros. Um porta-voz da Nokia não comentou o assunto e a porta-voz da Amazon não respondeu pedidos de comentários.

    Leia tudo sobre: AMAZONNOKIAmapasgoogle

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG