Segundo analistas, empresa precisa adotar nova mentalidade de vender mais do que aparelhos aos consumidores

Reuters

Por Jeremy Wagstaff

A Samsung construiu liderança mundial no segmento de celulares, mas num mercado instável a empresa parece mais vulnerável do que sua rival Apple por conta da ausência de um "ecossistema" --softwares, serviços, conteúdo e suporte ao cliente-- para fidelizar seus clientes.

Samsung, que apresentou Galaxy Note II na IFA 2012, deve mudar estratégia para fidelizar usuários, dizem analistas
Getty Images
Samsung, que apresentou Galaxy Note II na IFA 2012, deve mudar estratégia para fidelizar usuários, dizem analistas

"Eles precisam abandonar essa mentalidade de apenas vender o aparelho às pessoas", disse a diretora administrativa de celulares baseada em Singapura da consultoria Canalys, Rachel Langford. "Eles precisam abraçar a ideia de que eles não são mais apenas uma produtora de hardware".

O padrão de ecossistema foi estabelecido pela Apple: oferecer a usuários de celulares programas e conteúdo para download --como o iTunes para música e a App Store para programas-- que são melhor, e frequentemente apenas, acessíveis por meio de produtos da Apple.

Isso prende os usuários à Apple e faz com que seja mais provável que eles comprem mais um aparelho da empresa --um usuário de iPhone comprando um iPad, por exemplo.

"A maior façanha da Apple, além do design de seu aparelho, foi o desenvolvimento de um ecossistema", disse o analista Scott Bicheno, da Strategy Analytics no Reino Unido.

Embora os esforços da Apple para disponibilizar certos serviços em algumas partes do mundo foram lentos --a companhia apresentou apenas recentemente a iTunes Store em boa parte da Ásia, nove anos após o lançamento do serviço nos Estados Unidos--, ela ainda está à frente de seus rivais.

Os esforços da Samsung para construir algo semelhante foram, no melhor dos casos, hesitantes.

A versão mais recente do Music Hub, um serviço que combina música para download e streaming, só está disponível para usuários de seu novo celular topo de linha, o Galaxy S III. As resenhas iniciais do produto foram mistas.

A companhia também está desenvolvendo uma rede de anúncios por meio de uma parceria com o OpenX, um serviço que o principal analista da Delta Partners em Singapura, Mar Pages, compara com o iAd, da Apple. Esses serviços permitem que desenvolvedores incluam anúncios em seus softwares.

A Samsung disse que o Music Hub, disponível em quase 36 países, se expandirá para outros mercados e também será disponibilizado em mais smartphones, além de televisões e computadores com acesso à internet.

"A Samsung está fazendo seu máximo para oferecer os melhores conteúdos e serviços para nossos consumidores... Firmamos parcerias com desenvolvedores globais de liderança para cooperar em desenvolvimento de conteúdo e aplicativos e planejar para melhorar ainda mais nossas ofertas", disse a companhia.

(Reportagem adicional de Miyoung Kim em Seul)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.