Novo tablet tem espessura de apenas 7,2 milímetros e chegará aos EUA com preço a partir de R$ 660; Brasil não está na lista dos primeiros países que recebem o produto

A Apple acaba de anunciar, em evento realizado na cidade de San José (EUA), a versão menor do tablet iPad. Chamado de iPad Mini, o aparelho possui tela de 7,9 polegadas e representa a aposta da Apple contra o Kindle Fire HD , fabricado pela Amazon, e Nexus 7 , fabricado pelo Google.

LEIA TAMBÉM:
Tablet do Google deixa concorrentes comendo poeira
Kindle Fire HD é líder em vendas desde setembro, diz Amazon

O iPad Mini chegará às lojas dos EUA em 2 de novembro com preço de US$ 329 (cerca de R$ 660) para a versão Wi-Fi com 16 GB de memória, a mais básica. A versão com 32 GB de memória custará US$ 429 e a versão com 64 GB de memória custará US$ 529. Na mesma data, o produto chegará às lojas de outros 33 países, mas o Brasil não está entre eles.

O novo tablet, que será a segunda versão do iPad, pesa apenas 308 gramas, metade do peso do iPad atual, e cabe em uma só mão. Ele possui processador A5 com dois núcleos, câmera de 5 megapixels, além de câmera frontal de alta resolução (HD) para videochamadas, conexão Wi-Fi e terá modelos compatíveis com redes 4G ou LTE.

A tela do produto, segundo Phil Schiller, vice-presidente de marketing da Apple, possui a mesma resolução da tela do iPad 2, 1.024 x 768 pixels, o que não exigirá que os desenvolvedores ajustem os aplicativos oferecidos por meio da App Store, loja de aplicativos da Apple. O produto tem bordas mais finas nas laterais, o que amplia a área de tela disponível. "O iPad Mini tem uma moldura mais fina e design em metal, mas é mais fino e brilhante que o Nexus 7", disse Schiller.

O novo iPad Mini também possui o novo conector desenvolvido pela Apple que estreou no iPhone 5 . Chamado de Lightning, o conector causou polêmica, pois exige o uso de um conector especial, vendido separadamente pela Apple para que o aparelho seja compatível com os acessórios atualmente no mercado.

Apesar de ter menos espaço no novo tablet, a Apple manteve a bateria do iPad Mini com duração estimada de 10 horas. A Apple oferecerá o iPad Mini nas cores branco e preto, mas venderá capas protetoras (Smart Covers) em cinco cores. A versão com conexão 3G/4G do iPad Mini chegará às lojas só em dezembro, com preço a partir de US$ 459 (16 GB).

iPad de quarta geração

Além do iPad Mini, a Apple também lançou a quarta geração do iPad com tela de 9,7 polegadas. O novo produto ganhou maior capacidade de processamento, agora que vem com o processador A6X, mais rápido do que o usado no iPhone 5. "Estamos tão à frente dos nossos rivais, que nem conseguimos vê-los pelo retrovisor", disse Schiller, durante o evento da Apple em San José.

Segundo a Apple, o novo processador dobra a capacidade de processamento do tablet em relação à terceira geração, lançada em março de 2012. O produto continua oferecendo bateria com autonomia de 10 horas e agora suporta redes LTE (quarta geração da telefonia celular) de mais operadoras nos EUA. A câmera frontal do produto agora filma com resolução de 720p.

O novo tablet, mais poderoso que o antecessor, será vendido pelo mesmo preço: o modelo Wi-Fi com 16 GB de memória custará US$ 499; com 32 GB de memória, será vendido a US$ 599; e com 64 GB, o preço sobe para US$ 699. As versões Wi-Fi + conexão 3G/4G custarão a partir de US$ 629.

O iPad de terceira geração será substituído pelo de quarta geração. Contudo, a Apple continuará vendendo o iPad 2 por US$ 399 nos Estados Unidos, na versão de 16 GB. O modelo de 16 GB com Wi-Fi + 3G será vendido por US$ 529. Outras versões com quantidades de memória diferentes não estarão disponíveis.

Outros lançamentos

A empresa também lançou um novo Macbook Pro de 13 polegadas com tela Retina Display, um novo (e mais eficiente) Mac Mini e renovou o iMac, que agora tem laterais com espessura de apenas 5 milímetros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.