Versão com tela sensível ao toque do aparelho oferecerá 12 mil títulos em português da Livraria Cultura no lançamento

A Kobo e a Livraria Cultura anunciaram nesta segunda-feira (26) a chegada do leitor de livros eletrônicos Kobo Touch. O aparelho, rival do Kindle Touch da Amazon, estará disponível em pré-venda a partir da 0h desta terça-feira (27) por meio da loja online da Livraria Cultura por R$ 399.

Kobo Touch chega ao Brasil em parceria com a Livraria Cultura
iG São Paulo
Kobo Touch chega ao Brasil em parceria com a Livraria Cultura

Os aparelhos só serão entregues aos consumidores em 5 de dezembro, quando o Kobo Touch também começa a ser vendido nas lojas físicas da Livraria Cultura e na Rakuten Store, empresa parceira. No futuro, a Livraria Cultura e a Kobo avaliarão a possibilidade de vender o Kobo também em lojas de varejo e especializadas em eletroeletrônicos.

O Kobo Touch tem tela de seis polegadas, um pouco menor que a do Kindle Touch. O aparelho tem memória interna suficiente para armazenar até 1 mil livros eletrônicos (e-books) em formato ePub. Ele suporta cartão de memória microSD de até 32 GB, o que permite armazenar até 30 mil e-books. A bateria do aparelho tem autonomia de um mês.

Inicialmente, a Livraria Cultura e a Kobo oferecerão 35 mil títulos de livros eletrônicos no formato ePub para os usuários do Kobo Touch - o aparelho não vem com nenhum título pré-carregado. Do total de livros oferecidos, 12 mil títulos estarão em português, entre eles edições publicadas por grandes editoras nacionais, como Companhia das Letras e Record. Livros gratuitos e amostras de livros também poderão ser baixados por meio da loja virtual.

Funcionalidades

O iG teve a oportunidade de testar o produto durante o evento. A experiência de uso do Kobo Touch é similar a do Kindle Touch, mas a interface já foi traduzida para o português. Na tela inicial, o usuário pode navegar por sua lista de livros, fazer buscas e acessar a loja virtual para comprar livros.

Ao ler um livro, o usuário tem a opção de destacar um trecho, adicionar comentários e compartilhar trechos no Facebook. É possível também fazer uma busca dentro do livro. A loja virtual do aparelho, assim como da Amazon, faz recomendações de livros de acordo com os títulos que o usuário já comprou.

O diferencial do produto fica por conta do recurso "Reading Life" (vida de leitura, na tradução livre), que permite que o usuário cadastre sua conta nas redes sociais e compartilhe com os amigos quando terminou de ler um livro ou comprou um livro novo. Além disso, o "Reading Life" possui um sistema que concede medalhas ao usuário conforme ele lê mais livros, como no aplicativo Foursquare.

O produto não possui saída para fone de ouvido, como o Kindle Touch, o que não permite que o usuário ouça música enquanto está lendo. O sistema também não permite ver as marcações de outras pessoas que possuem o e-reader nos livros que leem.

Primeiro da linha a chegar

O Kobo Touch é o primeiro produto da empresa a chegar ao País, mas a Livraria Cultura já planeja o lançamento de outros produtos da fabricante em breve. "Os outros modelos de e-reader e o tablet da Kobo chegam ao Brasil no primeiro trimestre do ano que vem", disse Sérgio Herz, CEO da Livraria Cultura, em evento para a imprensa realizado em São Paulo. O preço dos produtos ainda não foi definido.

Atualmente, a Kobo oferece seus produtos em 10 países do mundo. Além do Kobo Touch, a empresa vende uma versão do leitor com tela de 5 polegadas (Kobo Mini), mais barata, além de uma versão com tela iluminada por LED para ler em ambientes escuros (Kobo Glo), e um tablet de 7 polegadas com tela HD e sistema operacional Android, o Kobo Arc. Este último concorre com o iPad Mini (Apple), Nexus 7 (Google) e Kindle Fire HD (Amazon).

Concorrência acirrada

A parceria entre a Kobo e a Livraria Cultura é anunciada em um momento de expectativa para a chegada da Amazon no Brasil. A empresa deve começar sua operação no País até o final do ano, inicialmente com a venda do Kindle Touch.

Além das duas empresas, a Apple iniciou recentemente a oferta de livros digitais em português para o iPhone e iPad no Brasil. O Google também estaria planejando o início da venda de e-books por meio do Google Play, loja virtual para dispositivos móveis com sistema operacional Android.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.