Com desempenho no terceiro trimestre, Brasil passa a figurar entre os 10 maiores mercados para tablets do mundo com seis aparelhos vendidos por minuto, segundo a IDC

As vendas de tablets no Brasil cresceram 127% no último ano, número que coloca o Brasil em 10º lugar entre os maiores mercados para estes aparelhos em todo o mundo. De acordo com a consultoria IDC, somente no terceiro trimestre de 2012 foram vendidos 769 mil tablets no País, o que representa 26,5% do total de unidades do produto que devem ser vendidas até o fim de 2012. As vendas no terceiro trimestre são 2% superiores ao trimestre imediatamente anterior.

LEIA TAMBÉM:
Em crise de identidade, fabricantes apostam em híbridos de tablet e notebook
Veja dicas para escolher o seu tablet neste Natal

“No decorrer do ano, os tablets se consolidaram no topo da lista de desejos dos consumidores brasileiros e seguem com um crescimento sustentável e contínuo, apesar de um cenário econômico atual menos propício do que em períodos anteriores.” disse Attila Belavary, analista de mercado da IDC Brasil, em comunicado. A expectativa da IDC é de que o mercado de tablets no Brasil cresça 86%, chegando a 5,4 milhões de unidades.

Confira alguns modelos de tablets à venda no mercado brasileiro e internacional:

Preço mais baixo

Do total de tablets comercializados durante o terceiro trimestre, 46% possuem um preço inferior a R$ 500, o que reflete a oferta de muitos modelos de fabricantes chineses no mercado. Segundo a IDC, 80% possuem o sistema operacional Android, desenvolvido pelo Google. "Há muitos fabricantes investindo na venda de tablets com funcionalidades inferiores, focando nesse novo consumidor que geralmente é pouco exigente em relação à especificação técnica do produto", diz  Belavary.

No ranking mundial do mercado de tablets, o Brasil saltou da 12ª posição, que ocupava no terceiro trimestre de 2011, para a 10ª posição no terceiro trimestre deste ano. Na liderança em âmbito mundial, os Estados Unidos possuem um mercado de tablets 12 vezes maior do que o mercado brasileiro. Enquanto no Brasil são vendidos, em média, seis tablets por minuto, nos EUA são comercializados 71 dispositivos deste tipo no mesmo período de tempo.

Mais conteúdo

A oferta de conteúdo digital para consumo em tablets, com livros digitais, filmes, entre outros, está aumentando no Brasil, mas ainda fica àquem dos países desenvolvidos. "O próximo passo é acelerar o desenvolvimento desses conteúdos digitais adaptados para o português para melhorar o uso dos tablets no país", diz o analista da IDC. Em mercados mais maduros, como EUA e Europa, as pessoas já tem um PC e usam o tablet para usar aplicativos, ler livros, ouvir música e assistir filmes.

No Brasil, a Apple, fabricante do tablet iPad, já oferece músicas, filmes, livros digitais e aplicativos para os usuários. O Google, por meio da loja online Google Play, oferece aplicativos, livros digitais e filmes - que podem ser acessados por meio de smartphones e tablets com Android. A Amazon, que também oferece um tablet com Android nos EUA, ainda não oferece o produto no País, nem sua loja de aplicativos, mas já vende livros digitais no País .

Algumas empresas nacionais, como a Livraria Cultura e Livraria Saraiva, além da Gato Sabido, também oferecem livros digitais que podem ser lidos por meio de tablets. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.