Mais de 10 usuários do navegador no Reino Unido estão processando o Google, em conjunto, após empresa usar código para instalar cookies em navegador da Apple

O Google enfrenta, no Reino Unido, um novo processo sobre uma possível violação de privacidade dos usuários do navegador Safari no iPhone, iPad e em computadores. Em ação conjunta, um grupo de pelo menos 10 usuários acusam o Google de "burlar" opção do navegador Safari que bloqueia a instalação de cookies, arquivos que permitem que a empresa monitore as atividades online dos internautas no celular.

Usuários do navegador Safari no Reino Unido entram com ação contra violação de privacidade do Google
Fabio Martins/Futura Press
Usuários do navegador Safari no Reino Unido entram com ação contra violação de privacidade do Google

O caso é um desdobramento de um processo que o Google sofreu nos Estados Unidos, após uma reportagem do jornal The Wall Street Journal revelar que a empresa usava um código nas páginas de seus serviços para "enganar" as configurações de privacidade do Safari, navegador da Apple presente no iPhone e iPad. Por padrão, o Safari bloqueia quase todos os métodos de rastreamento das atividades dos usuários na web.

Em agosto de 2012, o Google pagou US$ 22,5 milhões (cerca de R$ 44,5 milhões) em um acordo para retirar acusações de que violou configurações de privacidade dos clientes que utilizavam o Safari para acessar serviços como a ferramenta de busca e o Gmail. O negócio finalizou uma investigação da Federal Trade Comission (FTC) nos EUA.

Segundo o jornal The Guardian , cerca de 10 milhões de britânicos poderiam ter motivos para acionar o Google na Justiça por conta da violação de privacidade. "Esta é a primeira vez que o Google está sendo ameaçado por uma ação em grupo relacionada à privacidade no Reino Unido", disse Dan Tench, advogado da firma Olswang, responsável pela ação, ao jornal britânico. O Google não comentou o caso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.