Google Glass deve chegar ao mercado ainda este ano

Os óculos inteligentes do Google, projeto atualmente chamado de Google Glass, usarão o método conhecido como condução óssea (bone conduction) para enviar áudio para o ouvido dos usuários. Segundo o site especializado, Ars Technica a informação está em documentação enviada pelo Google ao FCC, órgão dos Estados Unidos que regula aparelhos eletrônicos à venda naquela país.

Em vez de usar um fone de ouvido comum para transmitir som por meio da orelha até as partes internas do ouvido, o método de condução óssea usa vibrações de ossos do crânio para enviar áudio para o cérebro humano. 

Fones de ouvido com tecnologia bone conduction usam pequenos sensores colocados nas laterais da cabeça para enviar áudio para o cérebro. Com as orelhas livres, o usuário pode ouvir o áudio do aparelho sem deixar de escutar o som ambiente.

A transmissão de áudio por condução óssea não é novidade no mundo da tecnologia. Desde meados dos anos 2000, algumas empresas já produzem fones com essa tecnologia. Até o momento, porém, esses produtos não ganharam popularidade. Uma das razões é que o volume e a qualidade do som obtido dos fones atualmente no mercado estão muito abaixo de fones de ouvido convencionais. 

Google Glass

Anunciado em junho do ano passado, o Google Glass é um dos projetos mais ambiciosos do Google. Ele consiste de uma discreta armação de óculos com um pequeno visor transparente ao lado do olho direito. Esse visor exibe informações como e-mails e notificações de celular. 

O Google Glass roda uma versão própria do Android e também tem uma câmera. Por meio dela, é possível tirar fotos em primeira pessoa com os óculos e enviar as imagens para a internet. Espera-se que uma versão comercial do Google Glass chegue às lojas até o fim deste ano. Os óculos já estão sendo testados internamente por funcionários do Google e em breve poderão ser adquiridos também por desenvolvedores de aplicativos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.