Novo sistema pode facilitar uso de aplicativos de empresas em smartphones e tablets, de acordo com a Canonical

Os primeiros smartphones com o sistema operacional de código aberto Ubuntu começam a chegar ao mercado em outubro de 2013. De acordo com o jornal The Wall Street Journal , os desenvolvedores terão acesso a uma versão do sistema, otimizada para o aparelho Galaxy Nexus que roda o sistema Android, no final de fevereiro. Isso permitirá que eles possam desenvolver aplicativos antes mesmo dos primeiros modelos chegarem ao mercado.

LEIA TAMBÉM:
Para a Dell, Ubuntu é mais seguro que Windows
Canonical pretende colocar o Ubuntu em tablets
Mozilla anuncia smartphone com FirefoxOS para desenvolvedores

O Ubuntu é um sistema operacional baseado no Linux e atualmente usado em servidores, principalmente em departamentos de Tecnologia de Informação das empresas. De acordo com a Canonical, empresa que presta serviços para ambiente corporativos com base no Ubuntu, o sistema estará disponível também em tablets e computadores, o que pode simplificar a gestão de dispositivos móveis dentro das empresas.

De acordo com o jornal, os smartphones com sistema Ubuntu poderão ser conectados a telas maiores, como monitores, e permitirão que os usuários possam acessar aplicativos que são executados a partir dos servidores, inclusive programas baseados em Windows. Os dispositivos também poderão funcionar conectados a periféricos como teclados e mouses sem fio.

Segundo especialistas, o sistema operacional Ubuntu para smartphone precisa enfrentar alguns desafios, como o fenômeno "Bring your own device" (traga seu próprio dispositivo, em português), que ocorre na maioria das empresas. Em vez de adotar smartphones fornecidos pela empresa, os funcionários trazem iPhones ou dispositivos com sistema operacional Android e pedem que eles sejam integrados pela equipe de TI aos sistemas da empresa.

Muitas empresas já se ajustaram a esta nova realidade e, como os usuários já estão acostumados a usar aparelhos com estas plataformas, é difícil saber se as empresas poderão considerar o uso de dispositivos móveis com Ubuntu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.