Novo produto chegará ao mercado brasileiro até junho e permite armazenar arquivos de até cinco usuários simultaneamente

Central multimídia da Samsung roda Android 4.2
Claudia Tozetto/iG
Central multimídia da Samsung roda Android 4.2

Nem Google TV. Nem Smart TV. A nova central multimídia da Samsung, que pode ser testada no estande da empresa no Mobile World Congress 2013, feira de dispositivos móveis realizada em Barcelona (Espanha), usa o sistema operacional Android 4.1 ou Jelly Bean para funcionar, o mesmo utilizado em smartphones e tablets, com algumas mudanças para atender à resolução de TVs de tela grande.

O novo produto da Samsung sincroniza o conteúdo de até oito usuários, criando um backup doméstico de até 1 TB que também cria uma cópia dos arquivos na nuvem – o produto garante a sincronização de até seis dispositivos, sejam smartphones ou tablets, para cada usuário. Dessa forma, os usuários podem acessar os arquivos de onde quiserem, por meio de um dispositivo conectado à internet, ao mesmo tempo em que mantém uma cópia dos arquivos em casa.

O produto, segundo Roberto Soboll, diretor de produtos de telecom da Samsung Brasil, quer atender aqueles usuários que ficam preocupados em armazenar fotos, vídeos e outros conteúdos importantes somente em serviços de backup em nuvem, como o Google Drive ou Dropbox. “O Home Sync garante o backup na sua casa, você não precisa ficar dependendo de serviços não regulamentados, que podem deixar de existir e colocar em risco seu conteúdo”, diz Soboll.

TV conectada

Com o Home Sync, é possível também conectar uma TV de tela fina comum à internet, desde que ela tenha uma saída HDMI. O funcionamento do produto é similar ao do Internet Player com Google TV, da Sony, que já à venda no Brasil desde o ano passado, por R$ 899, apesar da diferença do sistema operacional.

Central multimídia da Samsung com
Claudia Tozetto/iG
Central multimídia da Samsung com "nuvem doméstica" chega ao Brasil em junho

Como em outros dispositivos com Android, o usuário poderá navegar na web e instalar aplicativos por meio do Google Play, loja de aplicativos do Google. A loja, contudo, apresenta poucos aplicativos compatíveis com a resolução da TV (full HD), o que indica que a empresa pretende dar maior foco ao uso do aparelho para backup do que para consumo de conteúdo da web.

Alguns os aplicativos disponíveis, como o do YouTube, apresentam uma interface sem grandes recursos, o que mostra o contraste com os aplicativos oferecidos do site de compartilhamento de vídeos para as TVs conectadas da Samsung e de concorrentes, como a LG. Nestas plataformas, os aplicativos são geralmente desenvolvidos especificamente para TVs, para proporcionar uma experiência diferente dos dispositivos móveis.

Segundo Soboll, o Home Sync permitirá que os consumidores acessem o SmartHub, da Samsung, aplicativo que oferece diversas opções de conteúdo e aplicativos já disponíveis para TVs da marca. O produto também é compatível com NFC (Near Field Communications), o que permite compartilhar conteúdo de smartphones e tablets com a tecnologia ao aproximar os dois aparelhos.

O produto pode ser controlado por meio de um aplicativo de controle remoto para os smartphones Android. A Samsung ainda não divulgou o preço do produto.

*A jornalista viajou a Barcelona a convite da Samsung

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.