Registro será parte do acordo de patentes inovadoras, lançado pelo Twitter no ano passado, que não permite seu uso para mover processos contra outras empresas

O registro da patente do mecanismo do sistema por trás do Twitter foi concedido a Biz Stone e Jack Dorsey, cofundadores da empresa, nesta terça-feira (19). O documento, registrado pelo escritório de marcas e patentes do governo dos Estados Unidos, descreve um serviço no qual os usuários podem seguir outros usuários e enviar mensagens sem especificar o destinatário, mas que são enviadas aos seguidores, de acordo com regras do próprio sistema.

LEIA TAMBÉM:
Como a Apple derrotou a Samsung no processo de patentes
Decisão sobre patentes acirra disputa no mercado de celulares

Biz Stone, cofundador do Twitter, comemorou patente por meio do microblog:
Getty Images
Biz Stone, cofundador do Twitter, comemorou patente por meio do microblog: "Sou oficialmente um inventor (meu sonho desde criança)!"

O pedido de registro de patente aconteceu em julho de 2007, um ano após o lançamento oficial do Twitter pela Odeo, empresa de Biz Stone, Jack Dorsey e Evan Willians. Desde o lançamento, o Twitter se tornou um dos sites mais visitados da internet e ultrapassou 200 milhões de usuários cadastrados em 2012.

De acordo com o site The Verge , é improvável que os fundadores do Twitter utilizem a patente para processar outras empresas que oferecem serviços similares.

No ano passado, a empresa anunciou o acordo de patentes inovadoras. Por meio dele, a empresa afirma que continuará registrando patentes de tecnologias criadas por seus engenheiros, mas assegurará de que elas não sejam usadas em processos contra empresas, apenas como "medida" defensiva.

Em comunicado ao site, o Twitter afirmou que "como muitas empresas, nós pedimos o registro de diversas de nossas invenções. Nós também pensamos muito em como essas patentes podem ser usadas no futuro e é por isso que apresentamos o acordo de patentes inovadoras para manter o controle dessas patentes nas mãos dos engenheiros e designers."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.