Governo pede às companhias de telecomunicação que bloqueiem tais serviços

Reuters

Tela do aplicativo Whatsapp
Wikimedia Commons
Tela do aplicativo Whatsapp

Algumas ferramentas baseadas na internet tais como os aplicativos Skype e Whatsapp descumprem leis de tecomunicação da Arábia Saudita, disse a autoridade responsável neste domingo (31), instruindo operadores de telecomunicação a garantir rapidamente que tais serviços se adequem.

O anúncio da Comissão de Tecnologia da Informação e Comunicação da Arábia Saudita veio depois de matérias veiculadas em jornais locais na semana passada relatarem que o governo pediu às companhias de telecomunicação que busquem maneiras de monitorar e bloquear tais serviços.

"Tornou-se evidente que alguns aplicativos de comunicação via internet não atendem a requisitos regulamentares", disse a comissão em um comunicado publicado em seu site.

O comunicado listou os provedores de voz por IP (VoIP) Skype e Viber, assim como o serviço de mensagens SMS por internet Whatsapp.

Mas não especificou quais leis esse aplicativos violaram, quanto eles teriam para se adequar às regras ou que ação seria tomada caso eles falhem em atender às instruções.

Twitter

O país também poderá acabar com o anonimato dos usuários do Twitter limitando o acesso à página da web para as pessoas que não se cadastrarem com seu documento de identificação, segundo informou o jornal Arab News neste sábado (30).

O Twitter é muito popular entre os sauditas e vem fomentando um amplo debate sobre as questões que vão desde religião até política em um país em que este tipo de discussão pública é considerada, no melhor dos casos, indecorosa e, em algumas ocasiões, ilegais.

No começo do mês, um porta-voz do Ministério do Interior descreveu as redes sociais, particularmente o Twitter, como uma ferramenta usada por extremistas que tratavam de provocar a instabilidade social.

"Uma fonte (do órgão regulador) descreveu a iniciativa como um resultado natural depois do êxito na implantação de sua decisão de acrescentar um número de identificação para o usuário recarregar o saldo do telefone celular", informou o Arab News.

Os dois periódicos pertencem a um grupo editorial de propriedade da família real e são administrados pelo irmão do príncipe herdeiro Salman.

* Com Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.