Segundo IDC, volume fabricado no primeiro trimestre deste ano foi 13,9% menor do que no mesmo período de 2012

Os fabricantes de PCs apostavam no Windows 8 , lançado em outubro do ano passado, para reaquecer as vendas de computadores e notebooks. Mas, de acordo com o último relatório trimestral do instituto de pesquisas IDC, a estratégia não deu certo.

Leia também:
Atualização do Windows 8 deve chegar em junho

O relatório referente ao primeiro trimestre deste ano mostrou queda de 13,9% no número de unidades produzidas, em relação ao mesmo período de 2012.

Formatos diferentes de notebooks com Windows 8 não ajudaram a revigorar o mercado
Divulgação
Formatos diferentes de notebooks com Windows 8 não ajudaram a revigorar o mercado

Segundo o instituto, foram fabricados 33 milhões de computadores e notebooks no primeiro trimestre de 2013, contra 36,7 milhões no mesmo período do ano passado. A queda é a maior desde 1994, quando o IDC começou a monitorar o mercado de PCs.

Maior fabricante de PCs do mundo, a HP teve uma queda de 23,7% em volume de PCs fabricados (11,9 milhões em 2013 contra 15,7 milhões em 2012).

Segunda colocada no ranking de fabricantes, a Lenovo foi a única que se manteve estável. Completando o ranking das cinco maiores fabricantes, Dell, Acer e Asus também tiveram quedas (de 11%, 31% e 9%, respectivamente).

Tablets e smartphones

Segundo o IDC, a popularização de smartphones e tablets é uma das razões da queda da venda de PCs. Smartphones e tablets custam menos do que um PC, são mais práticos de usar e funcionam bem em tarefas mais simples, como navegação na web e em redes sociais.

Siga o iG Tecnologia no Facebook

A queda de preços principalmente dos tablets (nos países desenvolvidos, modelos com boa qualidade começam a surgir com preços na casa de US$ 200) indica que esses produtos devem continuar concorrendo com PCs pelos próximos anos.

Windows 8 "sai pela culatra"

Diferentemente de lançamentos anteriores do Windows, o Windows 8 não foi suficiente para aquecer o mercado de PCs. Pior, parece ter tido o efeito contrário, segundo o IDC. "Podemos dizer, infelizmente, que atualmente está claro que o Windows 8 não só falhou em reaquecer o mercado, mas aparentemente parece tê-lo esfriado ainda mais", diz o analista Bob O´Donnell, do IDC. 

Para O´Donnell, as mudanças radicais de interface prejudicaram as vendas do sistema. "Alguns consumidores apreciam os novos formatos de computadores e o recurso de tela com toque do Windows 8. Mas a mudança radical da interface, a remoção do tradicional botão Start e o custo maior dos produtos, devido às telas com toque, fizeram com que os PCs ficassem menos atraentes em relação a tablets e smartphones. A Microsoft terá que tomar decisões difíceis se quiser ajudar o mercado de PCs a crescer novamente", concluiu o analista.

Veja galeria de PCs e notebooks com Windows 8

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.