Aparelho com Windows Phone se destaca também pela ótima tela

O Windows Phone ainda não caiu no gosto dos usuários e tem uma fatia pequena do mercado de smartphones. Mas a Nokia continua apostando no sistema e, a cada novo aparelho, vem aprimorando o design do hardware, a câmera e a tela. 

Siga o iG Tecnologia no Facebook

O Lumia 920 é, atualmente, o melhor celular da empresa. O Windows Phone tem lá seus problemas, como a falta de alguns aplicativos populares e uma interface que não agrada a todos os públicos. Mas a excelente qualidade da câmera, da tela e o design elegante do aparelho são motivos para avaliar uma possível compra. Confira a seguir a análise.

A favor:

- Câmera com tecnologia PureView e estabilização mecânica;
- Tela com alta densidade de pixels;
- Já vem com 4G;
- Aparelho ótimo para som e vídeo;
- Acabamento simples e caprichado.

Contra:

- WP8 deve perder suporte em 2014, não se sabe ainda se haverá update para o 920;
- Não possui slot para cartão de memória;
- Não tem conexão HDMI;
- Não tem FM e não tem acesso à bateria.

Veja análises do Galaxy S4, Nexus 4, Galaxy Note II e outros smartphones

Design

O design do Lumia 920 continua a tradição da linha. O design é discreto, simples e muito bem acabado. Ele está mais pesado, com 185 gramas, mas em compensação está mais fino do que o 900.

O corpo é feito com o processo unibody, ou seja, criado a partir de uma única peça de policarbonato. O aparelho vem nas cores preta, cinza, vermelha, branca e amarela. As arestas são precisas, e o aparelho todo em si tem cara de resistente.

Lumia 920 tem corpo em peça única
Stella Dauer
Lumia 920 tem corpo em peça única

O Lumia 920 é totalmente fechado, não há como acessar a bateria. Alguns podem reclamar disso, mas são poucas as pessoas hoje em dia que usam os aparelhos até o fim da bateria, ou que realmente precisam ter acesso a ela. O lado positivo é que o corpo do aparelho fica mais robusto e sólido.

O policarbonato do qual é composto é colorido. Por isso o Lumia não ficará desbotado, já que não há camada de tinta nele. Todos os botões estão na lateral. Mas, como não há indicações, é difícil saber qual é o botão que liga o aparelho e qual é o da foto. O maior que sobra é o de volume.

Na parte inferior há dois parafusos (coisa que não era vista em modelos anteriores), a conexão microUSB, saídas de som e o microfone. Em cima ficam mais um microfone, a conexão de áudio e o slot para o chip SIM (que precisa ser aberto com uma ferramenta específica).

Atrás ficam apenas a câmera e seu flash, enquanto a frente é composta pela tela, botões capacitivos metalizados (que acendem com o uso), outra câmera, sensores e uma saída de som. No geral, ele tem uma pegada muito confortável.

Tela

A tela é de babar e também de fazer inveja aos usuários de iPhone. Quem gosta de bradar aos quatro ventos sobre a qualidade da tela Retina, pode ficar chateado. A definição aqui é de 768 x 1280 pixels, em 4,5 polegadas de tela.

E como se não bastasse ser maior, a tela do Lumia 920 possui também maior densidade de pixels (número de pixels presentes por polegada), com 332 ppi. Comparado aos 326 ppi do iPhone 5, não é nada gritante, mas é uma vantagem.

Não há tecnologia AMOLED ou True IPS HD, a tela aqui traz IPS LCD, com 16 milhões de cores. A tela é muito brilhante e colorida. Além disso, os pretos são tão profundos que em algumas ocasiões não dá pra saber onde fica a borda. Isso graças à tecnologia PureMotion HD+ ClearBlack display.

Infelizmente, não há no sistema um controle mais suave do brilho da tela, que pode ser apenas alto, médio ou baixo. Em compensação, o vidro é de Corning Gorilla Glass 2. Nas beiradas ele é arredondado, o que deixa o processo do toque mais confortável e fluido.

Hardware e processamento

O conjunto de processamento melhorou muito em relação ao Lumia 900. O WP8 permite melhores processadores, e por isso esse aparelho conta com uma CPU Qualcomm Snapdragon de 1.5 GHz dual core Krait e GPU Adreno 225.

A RAM também dobrou, e agora está em 1 GB. Pode parecer pouco em relação a outros aparelhos. Mas o que acontece é que o Windows Phone é parecido com o iOS em um quesito, o da leveza. O sistema exige menos do processador para rodar, além de ir desligando tudo o que não está precisando. Assim, mesmo com "pouco" processamento, ele se sai muito bem no geral.

A multitarefa do aparelho é um pouco complicada, pois nem todos os apps conseguem rodar em background. Ainda assim, o Lumia se saiu bem mesmo com mais de 10 apps ligados ao mesmo tempo. Testamos também jogos como Modern Combat 4, Need for Speed: Hot Pursuit, Asphalt 7 Heat e Assassin's Creed - Altaïr, e não houve problemas.

Em downloads longos ou quando há excesso de processamento, o aparelho esquenta um pouquinho, mas nada que incomode, e muito abaixo de modelos como o Galaxy S II. Entre os sensores, ele apresenta acelerômetro, bússola, gisroscópio e proximidade.

Nas conexões, a novidade agora é o NFC, mas ele também tem Wi-Fi 802.11 a/b/g/n dual band, DLNA, Wi-Fi hotspot, GPS com A-GPS e GLONASS (que, por sinal, é muito forte e preciso), Bluetooth 3.1, 3G e 4G. O aparelho funciona com chip de operadora do padrão microSIM e é quad band, ou seja, funciona com todas as operadoras do Brasil.

Sistema operacional e usabilidade

Novamente, a Nokia aposta no Windows Phone, e parece estar acertando. A versão presente é a mais recente de todas, 8.0. A interface é muito centrada em ícones e em texto, e sempre procura facilitar a vida do usuário, mantendo à mostra só o que é importante.

Windows Phone 8 aposta em visual com poucas cores
Stella Dauer
Windows Phone 8 aposta em visual com poucas cores

Quando desbloqueamos a tela, encontramos diversos quadrados, a home do sistema. Eles trazem aplicativos, widgets e outras funções programáveis, tudo procurando seguir duas cores e geralmente animados.

O teclado possui teclas grandes e funciona muito bem quando segurado com as duas mãos e utilizado com os dois dedões. A resposta é boa, e há teclas práticas como cedilha, ".br" e arroba na primeira página. Seria melhor, porém, se houvesse mecanismos de "adivinhação" de palavras e corretor, além de algum sistema similar ao Swype.

Deslizando o dedo encontramos os aplicativos disponíveis, em uma lista, e fora essas duas janelas, todo o resto do sistema apresenta muito texto. A fonte utilizada é fina, e os fundos sólidos geralmente pretos ou brancos deixam o aspecto da interface bem leve. No geral, é tudo bem minimalista, com transições belas, apenas o mais necessário é apresentado.

A home é um conjunto de blocos animados (Live tiles) que mostram (sem que seja necessário  acessar o aplicativo correspondente) diversas informações: slideshow de fotos, ligações perdidas, updates de redes sociais, entre outros. Manter pressionado o botão de voltar revela a multitarefa, na qual você escolhe qual aplicativo ligado deseja acessar.

Nessa nova versão do sistema há muito mais integração com o sistema para desktop, também na versão 8. Isso acontece graças ao compartilhamento do mesmo kernel pelos dois, e isso mostra a tentativa da Microsoft em integrar, de uma vez por todas, seus sistemas.

O WP8 também traz a capacidade do uso de processadores de vários núcleos, como o incluído no Lumia 920. Os blocos da home agora podem ser menores, permitindo a inserção de mais informações e mais atalhos na primeira página. O navegador, Internet Explorer 10, também foi melhorado e está mais rápido e seguro.

Ah, e para quem não sabe, mantendo pressionado o botão Windows, você abre o comando de voz, e pode executar ações como ligações, apontamentos no calendário, entre outros. Uma coisa que sentimos falta são as notificações de aplicativos todas juntas. Checar cada um deles é uma tarefa e tanto.

Se em nossos testes com o Lumia 900 foi muito complicada a transferência de arquivos para o Mac, no Lumia 920 com WP8 a coisa melhorou. Ao conectar o aparelho ao computador, o iPhoto já se abre e o app agora se chama apenas Windows Phone.

Porém, para adicionar arquivos ainda é necessário usar o aplicativo no desktop, deixando-o parecido com o iOS, que precisa do iTunes. Pelo menos é possível sincronizar um aparelho em vários computadores, coisa que o iOS não permite.

Em pesquisas nossas junto a usuários novos do WP, que saíram recentemente de sistemas como Android ou iOS, os resultados não foram ótimos. Muitos reclamaram da limitação do sistema da Microsoft em serviços gerais que são utilizados de forma intensa.

Esqueça as praticidades do Gmail, ou os milhares de aplicativos bonitos sendo lançados a todo instante. Nesses quesitos, para usuários mais exigentes de características em sistemas móveis, o WP se mostrou um pouco complicado.

O sistema feito para acessar o microSIM, já muito utilizado em outros smartphones, é um problema. É preciso usar um clipe ou a ferramenta que acompanha o aparelho para pressionar com força um esquema de abertura que solta o chip SIM e sua gaveta. Considero esse sistema frágil, complicado e ultrapassado.

Aplicativos

O Lumia 920, como os outros modelos da linha, não vem cheio de aplicativos, mas os que possui já são muito bons.

Os destaques do sistema são, com certeza, o Nokia Mapas e o Office. Já conhecido, o Mapas pode ser usado sem a necessidade de conexão 3G, mantendo o mapa armazenado na memória.

Junto a ele temos o Nokia Dirigir (agora chamado HERE Drive+ Beta), que funciona como guia GPS, com atualizações e uso gratuito para sempre. É mais um resultado da compra da Navteq pela Nokia.

Já o Office é uma versão mobile da conhecida suíte de aplicativos e ninguém melhor do que a própria Microsoft para fazer um app desses, né? Além deles, há também o OneNote (anotações, listas, imagens), um concorrente do Evernote.

Windows Phone 8 tem bons aplicativos, mas alguns bem populares não marcam presença
Stella Dauer
Windows Phone 8 tem bons aplicativos, mas alguns bem populares não marcam presença

Para quem ainda não entende direito o sistema, ou não entende muito de smartphones, há o app Nokia Care e o Ajuda+Dicas, ambos com dicas e instruções de como proceder em várias situações. E se você não sabe quais aplicativos baixar, o app Melhores Apps também dá uma força.

Para os que gostam de interagir há o Estúdio Criativo (aplica filtros nas fotos e oferece ajustes mais complexos) e no Foto Perfeita você tira uma sequência de fotos e depois escolhe aquela em que o objeto fotografado saiu melhor.

Em Nokia Lente, você se aventura pela realidade aumentada. Basta escolher a categoria de estabelecimento que quer encontrar e apontar o aparelho para a direção desejada. Usando a câmera, ele mostra informações em cima da visão geral. Ainda é incompleto, mas muito interessante.

Na hora de compartilhar alguma imagem ou arquivo direto do sistema, aparecem diversas opções – até o LinkedIn – de redes sociais e emails, precisando apenas logar nas contas em Configurações do aparelho. Em Música+Vídeo você consome o que compra ou aluga, e em Nokia Música você ouve músicas transferidas para o aparelho.

Entre os apps gerais, temos Alarmes, Calculadora, Calendário, Câmera, Configurações, Fotos, Loja, Mensagens, Telefone, Pessoas (contatos) e os clássicos Hotmail e Internet Explorer (versão 10, aprimorada). Cada nova conta de email que você abre vira um aplicativo.

Entre os aplicativos de terceiros, encontramos Angry Birds Roost (uma lojinha de coisas da Rovio), Buscapé e World of Red Bull. Nenhum deles indispensável. Se você vem de outro aparelho com Windows Phone, use o app Transferir meus dados para transferir seus arquivos.

A loja de aplicativos do WP ainda está longe das de outros sistemas, Android e iOS. Entretanto, o WP8 deixou muito mais fácil a portabilidade dos apps para seu sistema, e em breve devemos ver um crescimento ainda maior na variedade.

Mas, para quem se contenta com os apps mais populares (não, ainda não tem Instagram), há na loja alguns bem famosos como Temple Run, Zinio, Viber, Nimbuzz, Skype, Evernote, Cinemagraph, Netflix, Angry Birds, WhatsApp, Facebook, entre outros. E os jogos já começam ser mais sofisticados.

A loja está mais prática e, assim como é no Android, você pode procurar os apps a partir de seu computador e pedir a instalação no aparelho desejado (é necessário ativar a localização do aparelho). Também é possível experimentar antes de comprar os apps e jogos.

No site, você também pode localizar, apagar e travar seu aparelho. E quem tem Xbox 360 sai ganhando: toda sua informação pode ser acessada e compartilhada junto com seus jogos mobile. Com o app SmartGlass (também existente para iPhone e Android), dá até pra interagir com o console, usando o smartphone como controle.

Câmera

A grande sacada da Nokia foi colocar a tecnologia PureView nesse aparelho. Não vá pensando que ele vai fazer fotos mágicas como as do modelo 808, pois não tem sensor de 38 megapixels, mas todo o sistema foi aprimorado.

Sendo assim, a Nokia continua sua liderança no quesito câmera de celular, uma vez que as fotos feitas por ela têm qualidade surpreendente. Mesmo com "apenas" 8,7 megapixels, os resultados foram muito bons se comparados a câmeras similares de modelos concorrentes já que além, do PureView, o aparelho conta com lentes Carl Zeiss.

Câmera de 8 megapixels é um dos destaque do aparelho
Stella Dauer
Câmera de 8 megapixels é um dos destaque do aparelho

O sensor é acompanhado por sistema óptico de estabilização, o que traz fotos com melhor acuidade, e o PureView dá melhores cores e um resultado final mais caprichado do que o de outras câmeras.

O Lumia 920 foi o primeiro telefone com estabilização óptica (atualmente há apenas mais um, da HTC), e isso é feito por meio do giroscópio. Ele detecta o movimento do telefone e faz todo o conjunto óptico se mover na direção oposta para cancelar o movimento (por exemplo, vibração da câmera). Isso acontece 500 vezes por segundo.

Há mais vantagens nessa câmera. Ela conta com botão físico de disparo, modo wide 16:9 (fotos compridas), abertura f/2,0 e para macros exige uma distância mínima de apenas 8 centímetros. Em alguns casos, ela é melhor em qualidade de imagem até mesmo quando comparada com a Galaxy Camera. Além disso, o aparelho tem flash duplo de LED, geotagueamento de imagens, foco por toque e foco automático.

O modo automático já tira boas fotos, mas se você quiser mais, pode ajeitar algumas poucas coisas como ISO (de 100 a 800), flash, cenas (são cinco ao todo), valor de exposição, equilíbrio de branco e luz auxiliar de foco. No botão Aplicativos, dentro da câmera, são reunidos todos os apps de fotos e outros podem ser baixados (existem outros da Nokia para download).

Com boa luz, as fotos ficam ótimas, e na tela do aparelho até parece que é uma compacta ou melhor. No computador, também fica boa, se mantida a proporção e tamanho de 10 x 15 cm. As fotos podem ser impressas sem problemas e fazem bonito em álbuns de fotos.

O macro também impressiona, e pode ser feito bem de pertinho. É possível, ainda, fazer aquele efeito em que apenas o objeto mais próximo fica nítido, com o fundo desfocado, e vice versa. É uma câmera e tanto para se levar no bolso. Realmente, é espantoso ver as imagens também em uma tela grande computador.

O zoom digital distorce bastante a imagem, mas usa um sistema que suaviza os pixels, e por isso elas não ficam de todo ruins. Não serve para capturar com detalhes, mas com certeza não destroem a informação. Só para não dizer que ela é perfeita, as fotos acabaram ficando com cores estouradas quando o motivo era muito colorido em vermelho, como flores.

Os resultados com pouca luz também foram bem interessantes, graças à estabilização e à abertura da câmera. Entretanto, vale acrescentar que apesar de ser legal termos um botão físico para a câmera, ele é bem resistente ao clique, duro mesmo, e isso pode levar a fotos tremidas. Uma vantagem desse botão é que ele ativa a câmera mesmo com o telefone bloqueado.

Os aplicativos extras que você pode colocar garantem mais diversão. O Cinemagrafia faz GIFs animados, enquanto o Nokia Glam Me dá uma suavizada no rosto e aplica filtros. O BLINK e o Foto perfeita ajudam a ter as melhores fotos, sem piscadas.

A filmagem pode ser feita em Full HD, e o flash pode ser utilizado como luz de apoio no vídeo. E como o sensor e a estabilização são os mesmos, o resultado em vídeo também ficou muito bacana. A captação de som é bem sensível e o foco é frequente. Até em pouca luz agradou.

Há uma câmera frontal de 1,3 megapixel HD que, além de ser útil em conversas por vídeo,  quebra um bom galho como câmera de autorretratos, saindo-se muito bem em boa luz.

Música e mídia

Além da câmera, chegamos a outro item em que a Nokia costuma mandar muito bem, mídia. Se ela já era boa em áudio, agora que pode exagerar na tela traz também vídeos de primeira qualidade.

O som externo é bem alto, mas não é maravilhoso. As saídas de som ficam apenas na parte inferior, e por isso não há estéreo, além de ficar um som um pouco abafado. Pelo menos a coisa melhora quando o aparelho é segurado na horizontal, para jogar e ver vídeos, pois aí a mão forma uma concha e melhora a reverberação como um todo.

Já com os fones intraauriculares inclusos no conjunto, a coisa melhora e muito. Com o sistema Dolby Headphone Sound enhancement a batida fica forte, o estéreo é fantástico e o volume ainda é bem alto. Há uma ligeira discrepância dos agudos, mas um equalizador pode arrumar isso.

Infelizmente, o 920 não conta com rádio FM, mas esse é um recurso prometido pela Microsoft no próximo update do sistema, que deve sair em breve.

Para vídeos, não há discussão. Tela impecável, perfeita para reprodução de vídeos em Full HD, sem engasgos. O som é o que já dissemos, mas a imagem é muito boa. O único porém é não ter conexão HDMI. Uma mancada desnecessária, pois aparelhos parecidos, como o antigo N9, tinham essa conexão.

Bateria e armazenamento

A duração da bateria em stand by agradou. Sem muito uso diário, ela chega a quase dois dias, muito bom para um aparelho com tela tão grande. Para vídeos, internet, jogos e tarefas mais pesadas, o número cai para aproximadamente 6 horas, o que não é muito legal. Para músicas, passa de 12 horas.

Com 32 GB nativos em seu interior, já dá para brincar bastante com o 920. Mesmo quem gosta de assistir filmes e escutar muita música no aparelho vai poder aproveitar largamente todo esses espaço. Para a maioria das pessoas, não há do que reclamar.

Mas os que gostam da liberdade de expansão de memória não vão gostar, pois não há slot para cartão de memória, assim como já não havia em outros modelos da linha. O possível motivo seria a manutenção do processamento, que sempre acaba sendo um pouco prejudicado quando do uso de memória externa.

O que vem na caixa

A caixa do Lumia 920 traz o necessário para seu bom uso. Temos o aparelho, um par de fones de ouvido intraauriculares, um manual, carregador de viagem, cabo USB e a ferramenta para abrir o slot do chip SIM.

Uma das coisas mais legais no Lumia 920 é a possibilidade de carregamento da bateria sem fios. O acessório oficial da Nokia é vendido separadamente, e permite recarregar o aparelho apenas colocando-o em cima da base.

Quais as diferenças em relação ao Lumia 900?

No geral, são poucas, mas significativas as mudanças do 900 para o 920. A mais importante é no processamento, que passa dos 1.4 GHz para o dual core 1.5GHz, além da RAM em dobro, agora com 1GB. A câmera é outro fator determinante, uma vez que passa a contar com a tecnologia PureView e a estabilização óptica da imagem.

A versão 8 do windows Phone também mereceria um alô, não fosse o fato de a Microsoft ter anunciado recentemente que o suporte tanto ao Windows Phone 7.8 quanto ao 8 será encerrado em meados de 2014. Isso pode fazer com que muita gente espere um pouco mais para comprar um aparelho com uma versão mais atualizada.

Para quem é

Quem é heavy user de aplicativos e também de serviços do Google tem opções melhores no mercado. Mas se você é alguém que quer praticidade sem complexidade de configurações, boa qualidade para fotos, vídeos e muito mais para som, além de um belo aparelho, o 920 é uma boa opção.

Ficha técnica

Nokia Lumia 920

Preço: R$1.999
Configuração: tela de 4,5 polegadas com resolução de 768 x 1280 pixels, sistema Windows Phone 8, processador Dual core 1,5 GHz Krait, 1GB de RAM, 3G/4G, 32 GB de armazenamento interno, câmera de 8 megapixels com flash Dual LED, Wi-Fi 802.11 a/b/g/n dual band, DLNA, Wi-Fi hotspot, GPS com A-GPS e GLONASS, Bluetooth 3.1, 3G, 4G, USB, NFC.
Dimensões: 13 x 7, x 1,1 cm
Peso: 185g
Autonomia de bateria: Até 44 horas em stand-by / Até 6h em conversação e internet
Itens inclusos: aparelho, manual, carregador de viagem, fones de ouvido, clipe para acessar o SIM e cabo USB.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.