Novo serviço de e-mail da Microsoft alcançou 400 milhões de usuários nesta semana, após transferência massiva de dados dos usuários nas últimas seis semanas

A Microsoft anunciou o fim do serviço de e-mail gratuito Hotmail, já que a empresa concluiu o processo de migração dos usuários para seu substituto mais moderno, o Outlook.com. O novo serviço de e-mail alcançou a marca de 400 milhões de usuários em todo o mundo na mesma semana em que a Microsoft abandonou o seu serviço de mensagens instantâneas Windows Live Messenger ou MSN Messenger.

LEIA TAMBÉM:
Veja dicas para usar melhor o Outlook.com, sucessor do Hotmail
Análise: Sucessor do Hotmail, Outlook.com quer atrair usuários do Gmail

Outlook.com
Reprodução
Outlook.com

No total, segundo a Microsoft, 150 petabytes de e-mails foram transferidos no Hotmail para o Outlook.com nas últimas seis semanas, para que a empresa migrasse as contas de todos os usuários para a nova plataforma. Até fevereiro, quando o Outlook.com saiu da fase de testes, o novo serviço tinha 60 milhões de usuários. Por conta disso, um esforço "sem precedentes" foi necessário para migrar as contas dos outros 340 milhões de usuários até o início de maio.

Segundo a Microsoft, os usuários de endereços de e-mail @hotmail.com ou @hotmail.com.br não precisarão alterá-los para um novo endereço @outlook.com ou @outlook.com.br. Contudo, os usuários poderão alterar seus endereços de e-mail se desejarem. Para usar o novo serviço a partir de agora, os usuários não precisam fazer a migração manualmente, pois quando acessarem suas contas, já encontrarão a nova versão do serviço de e-mail.

O serviço foi criado em julho de 1996 pelos americanos Sabeer Bhatia e Jack Smith, e comprado em 1997 pela Microsoft. De lá pra cá, o serviço mudou de nome algumas vezes, para MSN Hotmail, Windows Live Hotmail e outras variações. Mas, apesar das mudanças, o Hotmail não conseguiu escapar da imagem da imagem de "e-mail de velhos", principalmente após a chegada do Gmail, em 2004.

Maior integração com a nuvem

A Microsoft anunciou também que, nas próximas semanas, liberará novos recursos para o Outlook.com, que tornarão o serviço de e-mail mais integrado com o SkyDrive, serviço de backup em nuvem da marca. Ao enviar um novo e-mail, o usuário poderão incluir imagens armazenadas no SkyDrive, o que cria um álbum de fotos vinculado ao e-mail. Com isso, ao receber o e-mail, o amigo tem a permissão para baixar as imagens diretamente do SkyDrive. Isso ajuda a evitar problemas com o envio de e-mails com quantidades muito grandes de dados.

Nesta semana, a Microsoft também anunciou os primeiros testes de integração do Skype , substituto do Windows Live Messenger, com o Outlook.com. A partir dos próximos meses, os usuários poderão bater papo com seus contatos por meio da ferramenta e, após instalar um complemento no navegador, também poderão iniciar chamadas de voz e vídeo individuais ou em grupo por meio do serviço de e-mail da Microsoft.

Mudança de estratégia

A criação de um novo serviço de e-mail foi interpretada por analistas como uma tentativa da Microsoft para se manter competitiva nesse mercado. O Hotmail é líder nesse setor, com 324 milhões de usuários mensais (cerca de 60 milhões no Brasil) e 36% do mercado, segundo a consultoria comScore.

Contudo, o Hotmail enfrenta a concorrência acirrada do Gmail e o e-mail do Yahoo. Além disso, há a concorrência de redes sociais como Twitter e Facebook, que têm seus próprios sistemas de mensagens e dispensam o e-mail para comunicação entre seus usuários.

Por essa razão, o novo Outlook.com já nasceu integrado a rede sociais. Quem tem uma conta no Outlook.com pode publicar mais facilmente conteúdo em algumas redes sociais sem sair do serviço de e-mail, além de fazer chamadas de voz e vídeo por meio do Skype e guardar e editar arquivos por meio do SkyDrive. Dessa forma, o Outlook.com deixa de ser apenas um serviço de e-mail para se tornar um ponto de partida para acessar diversos serviços.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.