Empresa afirma querer ampliar presença de sistemas operacionais alternativos a Apple e Google, que dominam mais de 90% do mercado global de smartphones

A Telefônica e a Microsoft anunciaram, nesta quarta-feira (26), uma parceria para promover o sistema operacional Windows Phone 8. A parceria de um ano inclui investimentos em marketing da Telefônica para divulgar os smartphones com Windows Phone 8 na Alemanha, Chile, Espanha, México, Reino Unido e Brasil.

LEIA TAMBÉM:
FirefoxOS, Ubuntu, Tizen e Sailfish: os novos rivais do Android e do iPhone

Lumia 920, smartphone da Nokia com sistema operacional Windows Phone
Getty Images
Lumia 920, smartphone da Nokia com sistema operacional Windows Phone

Em comunicado, a Telefônica afirmou que está "firmemente comprometida" em aumentar sua presença na oferta de dispositivos móveis para encorajar o uso de outros sistemas operacionais como alternativa ao iOS, presente no iPhone e iPad, e Android. A operadora afirma, ainda, que um dos objetivos é oferece uma experiência mais personalizada aos usuários.

Além do investimento em marketing, a Telefônica pretende oferecer aos seus clientes o acesso a produtos e serviços da Microsoft, como o Office 365 e o SharePoint (empresas), além de outros recursos como o serviço de backup em nuvem Skydrive e o Xbox (consumidor final).

FirefoxOS

Não é a primeira vez que a Telefônica apoia sistemas operacionais concorrentes do iOS e do Android, que juntos dominam mais de 90% do mercado de smartphones . Em janeiro de 2013, a operadora anunciou uma parceria com a Geeksphone e a Fundação Mozilla para levar ao mercado o primeiro celular com sistema FirefoxOS, sistema baseado em Linux projetado para explorar os recursos do HTML5.

As operadoras, como a Telefônica, tentam impor um novo modelo de sistema operacional para smartphones desvinculado do modelo de loja de aplicativos proprietárias, já que não ganham nada na venda de aplicativos. A receita com a venda dos aplicativos fica apenas com as donas da lojas (Apple, no caso da App Store e Google, no caso do Google Play).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.