Com indeferimento do pedido das empresas e promessa da Apple de não processar Amazon, as duas empresas poderão continuar a marca

Reuters

A Apple e a Amazon.com encerraram o processo sobre quem tem o direito de usar o nome "app store", abrindo caminho para que as duas empresas o utilizem. A juíza distrital dos EUA Phyllis Hamilton, na Califórnia, pediu nesta terça-feira o indeferimento do pedido das empresas. Isso veio depois que a Apple emitiu à Amazon a promessa de não processar.

"Nós não vemos mais a necessidade de prosseguir com o caso", disse a porta-voz da Apple Kristin Huguet. "Com mais de 900 mil aplicativos e 50 bilhões de downloads, os clientes sabem onde podem comprar os seus aplicativos favoritos."

Martin Glick, advogado da Amazon, disse em uma entrevista: "Esta foi uma decisão da Apple de abandonar unilateralmente o caso, e deixar a Amazon livre para usar 'appstore'".

Na ação de março de 2011, a Apple havia acusado a Amazon de abusar do nome "app store". A Amazon respondeu que o termo tornou-se tão genérico que o seu uso não poderia ser caracterizado como propaganda enganosa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.