Em entrevista à TV, primeiro-ministro britânico afirmou que ferramentas de busca devem impedir uso de determinados termos que levem a imagens ilegais

Reuters

LONDRES - O primeiro-ministro britânico David Cameron pediu neste domingo aos provedores de serviço de busca na internet, como Google, Yahoo e Bing para bloquear imagens de abuso de crianças, cobrando mais ações contra a pornografia online.

LEIA TAMBÉM:
Como detectar spam e fraudes entre os resultados de busca

David Cameron defendeu bloqueio de termos de busca para evitar acesso a pornografia infantil
AP
David Cameron defendeu bloqueio de termos de busca para evitar acesso a pornografia infantil

Em uma entrevista à televisão, Cameron disse que as ferramentas de busca devem bloquear os resultados para procuras que usem determinadas palavras, de modo a impedir os usuários da internet que acessam imagens ilegais.

Apesar de as empresas de busca se comprometerem a ajudar a remover imagens da internet, Cameron disse querer que elas cheguem mais longe. Cameron disse que o governo está pronto para introduzir novas leis se as ferramentas de busca não oferecerem cooperação suficiente.

Na semana passada, autoridades norte-americanas disseram ter prendido 255 pessoas suspeitas de exploração sexual de crianças na internet. Em junho, o Google doou o equivalente a 4,6 milhões de dólares para combater o problema. "Nós temos uma atitude de tolerância zero para com imagens de abuso sexual infantil. Sempre que descobrimos isso, nós respondemos rapidamente e remover e reportar o ocorrido", disse um porta-voz do Google.

O Bing disse que apoia campanhas educativas e de detenção e que estava trabalhando com o governo britânico para determinar a melhor abordagem de toda a indústria para combater os conteúdos ielgais. O Yahoo nao estava imediatamente disponível para comentar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.