Plataforma para TVs baseada no sistema operacional Android oferecerá "experiência mais rica", de acordo com vice-presidente sênior do Google

O Google afirma que continuará investindo em sua plataforma de TV conectada, a Google TV, mesmo depois do lançamento do Chromecast, dispositivo com sistema operacional baseado no ChromeOS que permite exibir vídeos da web na tela da TV. Em entrevista ao site All Things Digital , Sundar Pichai, vice-presidente sênior do Google para Android, Chrome e aplicativos, afirmou que a Google TV será, em breve, "um sistema Android pleno para TV".

LEIA TAMBÉM:
Novo rival do Google para Apple TV, Chromecast esgota nos EUA

TV da LG com Google TV: Google quer investir na plataforma, mas tentará popularizar web na TV com Chromecast
ig
TV da LG com Google TV: Google quer investir na plataforma, mas tentará popularizar web na TV com Chromecast

Segundo Pichai, o Google deve anunciar novas parcerias com fabricantes para a Google TV na próxima edição da Consumer Electronics Show (CES), feira que será realizada no início de janeiro de 2014 em Las Vegas (EUA). Na edição passada do evento, grandes parceiras do Google, como LG e Sony, dedicaram espaços modestos para promover seus modelos de TVs conectadas com a plataforma do Google.

As versão inicial do Google TV foi criticada por ser complicada de usar e exigir controles remotos desengonçados. Esses problemas foram aos poucos solucionados pelos fabricantes de hardware, que criaram controles mais confortáveis. Mas a concorrência do Google TV vem dos próprios fabricantes de hardware, que vêm dando mais destaque a seus próprios sistemas interativos de TV.

Dispositivos diferentes

O Chromecast é um dispositivo leve, para permitir o streaming de vídeo da web na TV. Ele roda uma versão simplificada do sistema operacional ChromeOS, o mesmo que roda nos Chromebooks . O produto vem com 256 Kb de memória, exibe vídeos com resolução full HD (1080p) e custa apenas US$ 35 (cerca de R$ 78). "É chocante a quantidade de vídeos assistidos em celulares, tablets e notebooks, mas o uso de TV ainda é maior", disse Pichai, ao site.

INFOGRÁFICO:
Compare centrais multimídia à venda no Brasil

No caso da plataforma Google TV, o usuário precisa comprar uma TV ou set-top box com a plataforma do Google embarcada. Assim como em TVs conectadas de fabricantes como Samsung e LG, esses produtos permitem instalar aplicativos na TV por meio do Google Play, jogar games e também assistir filmes em serviços de vídeo sob demanda, como o Netflix. Os aparelhos, contudo, são mais caros. No Brasil, o set-top box da Sony com Google TV chegou às lojas por R$ 899.

Pichai também deu dicas de que os recursos existentes no Chromecast farão parte, em breve, da Google TV. Os usuários poderão também controlar a Google TV por meio do celular ou tablet, ao pressionar o botão "Cast" em sites como YouTube e Netflix. Além disso, será possível "espelhar" a tela do smartphone na TV, para assistir vídeos em sites que ainda não suportam o botão "Cast", como o Vimeo, principal concorrente do YouTube. O executivo do Google não divulgou quando a plataforma Google TV será atualizada com os novos recursos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.