Tecnologia da Internet Business Technologies antecipa o futuro da rede e permite entre outras coisas a interatividade em tempo real, sem delay

A tecnologia Realtime passou a ser marca patenteada e exclusiva da Internet Business Technologies, do grupo BRZTech
Divulgação
A tecnologia Realtime passou a ser marca patenteada e exclusiva da Internet Business Technologies, do grupo BRZTech

A tecnologia Realtime agora é também uma marca patenteada e exclusiva da Internet Business Technologies (IBT), empresa pertencente ao grupo BRZTech. A empresa conquistou o registro de patente e marca da sua tecnologia junto aos escritórios de propriedade intelectual dos Estados Unidos. Com a conquista, a marca Realtime, seus produtos e serviços passam a ser utilizados com exclusividade pela empresa em todo o mundo.

Com unidades no Brasil, Estados Unidos, Reino Unido e Portugal, a IBT passa a ter autorização internacional para prover o serviço sob a marca Realtime, já utilizado no Brasil pelo iG , pelo canal Último Segundo e pelo site do jornal "Brasil Econômico". Criada em agosto do ano passado com investimento inicial de menos de US$ 100 milhões, a Realtime foi avaliada recentemente em US$ 1 bilhão. Segundo o The Huffington Post , trata-se de uma das startups mais valiosas do mundo, ao lado de Evernote, Dropbox e AirBNB.

Tecnologia disruptiva

Mais do que uma marca ou um aplicativo, a tecnologia Realtime representa hoje o futuro da internet. Para os especialistas, uma legítima tecnologia disruptiva – daquelas que surgem de tempos em tempos para quebrar determinado padrão, mudar a rota do desenvolvimento tecnológico e apontar novos caminhos para a tecnologia, usuários e consumidores.

Algo similar ao que no passado representaram o papel, as armas, os automóveis, a eletricidade e a mídia digital. Trata-se de um impacto forte o suficiente para levar a internet rumo à chamada Web 3.0 .

Foi o que recentemente apontaram, por exemplo, os executivos da Gartner Group, consultoria internacional que deu aval à tecnologia Realtime. Para eles, o Realtime conseguiu antecipar pelo menos em dois anos a chegada dessa nova fase da internet. Essa nova etapa, que antecipa o futuro da rede, seria sublinhada por um avanço até pouco tempo inimaginável num horizonte à vista no curto prazo: a interatividade em tempo real, sem os delays inevitáveis nas interações hoje existentes na rede (incluindo aí Facebook e Google, gigantes avançados em matéria de tecnologia).

A tecnologia da BRZTech – uma empresa 100% brasileira – possibilita também a análise de big data em tempo (de fato) real, identificando o melhor conteúdo para o perfil do leitor.

Produto

A tecnologia Realtime permite a redução de tempo entre a ação de um usuário e a visualização dessa interação, eliminando atrasos decorrentes da atualização e publicação de páginas, o que caracteriza o tempo real. Nas enquetes produzidas pelo iG , por exemplo, o leitor pode acompanhar o resultado e medir a mudança de humor dos internautas instantaneamente.

Já a página do Último Segundo é organizada conforme o número de internautas que leem a matéria no exato momento da consulta – mas pode ser organizada também por volume de comentários e horário de publicação.

O Realtime permite ainda a comunicação direta entre dois ou mais interlocutores ao mesmo tempo. A tecnologia segurar 950 mil conexões ao mesmo tempo – bem acima dos recursos atuais. Mais: tem a vantagem de ser compatível com qualquer versão de todos os navegadores, algo que não ocorre hoje no mundo dos desenvolvedores que utilizam a linguagem HTML5. Vantagem para os internautas e também para empresas e consumidores que usam comércio eletrônico.

Nesse terreno, a tecnologia permite o direcionamento da publicidade e o tratamento sob medida para o internauta durante a navegação. Aumenta a possibilidade de o cliente concretizar o negócio no site, em vez de usá-lo apenas como apoio à decisão de compra. A estimativa é que essa “taxa de conversão” esteja entre 5% e 6% na internet, mas pode chegar a 30% num shopping “real”.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.