Com cinco aplicativos móveis, empresa se prepara para receber 50% dos acessos a rede social por meio de dispositivos móveis em 2015

No dia em que o LinkedIn, rede social para profissionais, anunciou que ultrapassou a marca de 15 milhões de usuários no Brasil , a empresa anunciou uma grande mudança na estratégia para dispositivos móveis, como smartphones e tablets. Em um evento nos Estados Unidos, a empresa revelou três novos aplicativos móveis.

LEIA TAMBÉM:
LinkedIn chega a 15 milhões de usuários no Brasil

Com a nova versão dos aplicativos, a empresa tenta se preparar para a imensa quantidade de acessos móveis à rede social nos próximos anos: atualmente, segundo dados divulgados pelo LinkedIn, 33% de todos os acessos à rede social ocorrem por meio do celular, porcentagem que deve chegar a 50% do total em 2015.

LinkedIn Intro está disponível somente para iPhone e iPad
Divulgação
LinkedIn Intro está disponível somente para iPhone e iPad

Uma das partes fundamentais da nova estratégia, segundo os executivos da empresa, é integrar o LinkedIn na principal atividade dos usuários de smartphones: o e-mail.

"Ao contrário do que as pessoas acreditam, os usuários não passam mais tempo jogando ou acessando as redes sociais, mas checando os e-mails. Metade de todos os e-mails são lidos pelo celular", disse Rahul Vorha, gerente sênior de produto do LinkedIn e fundador da Rapportive, startup que criou a tecnologia usada pela rede social para ser integrada com o serviço de e-mail, durante o evento.

Chamado de LinkedIn Intro, o novo aplicativo da rede social, revelado nesta quarta-feira, permite que o usuário veja as fotos dos seus contatos direto da caixa de entrada do cliente de e-mail do smartphone.

O recurso é útil, por exemplo, para pesquisar informações sobre o histórico profissional de uma pessoa no momento em que negocia com ela por e-mail. Por enquanto, o LinkedIn Intro é compatível apenas com o iPhone e iPad, o que restringe o alcance do novo recurso. Para obter acesso ao novo aplicativo, é preciso solicitar um convite para o LinkedIn por meio da página oficial do serviço .

É preciso ver o novo serviço, no entanto, com cautela. Para ativar o Intro, o usuário precisa fornecer seu nome de usuário e senha de acesso ao LinkedIn, que fica na posição de intermediário entre o internauta e o serviço de e-mail utilizado, como o Gmail ou Hotmail. Embora a empresa não tenha acesso direto ao conteúdo das mensagens, o LinkedIn já enfrentou problemas no passado relacionado ao vazamento de informações pessoais dos usuários.

Em junho de 2012, o LinkedIn confirmou o roubo de senhas de acesso ao site por hackers. Na época, a imprensa internacional noticiou que até 6,5 milhões de usuários teriam sido afetados pela invasão. Na época, a empresa cancelou imediatamente as senhas dos usuários prejudicados, que tiveram que cadastrar um novo código de acesso ao site.

Pulse ganha nova versão

Além do LinkedIn Intro, a rede social anunciou a nova versão do aplicativo Pulse , um agregador de sites de notícias similar ao Flipboard adquirido pelo LinkedIn. A partir de agora, o internauta poderá usar sua conta de acesso à rede social profissional para acessar o serviço.

Além de cadastrar suas fontes de informação no aplicativo, o usuário poderá ver os artigos publicados pelos influenciadores do LinkedIn. Tratam-se de textos publicados por executivos de sucesso com conselhos de carreira por meio da rede social. A nova versão do aplicativo deve ser disponibilizada aos usuários em breve, mas a rede social não divulgou a data.

No total, o LinkedIn oferecerá cinco aplicativos móveis que, segundo o CEO, foram redesenhados e desenvolvidos de forma nativa para iPhone e iPad. "Queremos pegar o melhor do desktop e levar para a plataforma móvel", diz Joff Redfern, vice-presidente de mobilidade do LinkedIn.

Nova versão para iPad

A terceira novidade do evento foi a nova versão do aplicativo do LinkedIn para iPad. Segundo os executivos da empresa, o aplicativo foi totalmente redesenhado para atender às atividades dos usuários do iPad. Após pesquisa, dizem os executivos do LinkedIn, a empresa percebeu que as pessoas usavam o aplicativo da rede social à noite, quando chegavam do trabalho, geralmente no sofá.

Novo aplicativo do LinkedIn para iPad possui barra de atalhos para facilitar navegação
Divulgação
Novo aplicativo do LinkedIn para iPad possui barra de atalhos para facilitar navegação

Com isso, o aplicativo ganhou novo design, que inclui uma interface mais simples e que inclui a ativação de diversas opções por meio de gestos simples, como o swipe. As fotos dos contatos do usuário também ficaram maiores, o que facilita a identificação das pessoas conforme o usuário rola o feed de notícias. No topo do aplicativo, uma nova barra de navegação mostra as funções mais usadas pelo internauta.

Além disso, o aplicativo ganhou novas funções como a possibilidade de acessar vagas de emprego por meio do tablet, recurso indisponível na versão atual do aplicativo. Este recurso, segundo os executivos do LinkedIn é importante na versão móvel, uma vez que os profissionais evitam olhar vagas de emprego enquanto estão no trabalho. A nova versão do aplicativo já está disponível para download por meio da App Store .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.