Um dia após ser invadido por grupo de hackers que apoiam Bashar Al Assad, empresa garantiu que informações não foram comprometidas

Estadão Conteúdo

Um dia após o Syrian Electronic Army, grupo hacker que apoia o governo sírio, atacar contas do Skype, o serviço de chamadas pela Internet disse que sabia ter sido alvo de um ataque na quinta-feira, mas que nenhuma informação de usuário foi comprometida.

Leia também: Exército Eletrônico Sírio invade contas do Skype

Uma mensagem postada na página oficial do Skype no Twitter na quarta-feira dizia: "Não use emails da Microsoft (hotmail, outlook). Eles estão monitorando suas contas e vendendo dados para governos. Mais detalhes logo. #SEA".

Mensagens similares foram postadas nas páginas oficiais do Skype no Facebook e em um blog em seu website antes de serem derrubadas mais tarde naquele mesmo dia. O Skype pertence à Microsoft.

O Syrian Electronic Army, grupo que suporta o presidente sírio Bashar al-Assad, assumiu depois a autoria pelo ataque.

"Nós recentemente tomamos conhecimento que fomos alvo de um ataque cibernético ... Mas isso foi rapidamente restabelecido", disse uma porta-voz do Skype em comunicado na quinta-feira. "Nenhuma informação de usuário foi comprometida", acrescentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.