Comissão de Conservação e Desenvolvimento da Baía de San Francisco diz que a empresa não tem as licenças necessárias para fazer obras no local em que a balsa está estacionada

Google constrói prédio em balsa na Baía de San Francisco desde o ano passado
AP Photo
Google constrói prédio em balsa na Baía de San Francisco desde o ano passado

Sem as autorizações devidas, o Google terá que mover sua embarcação estacionada na Baía de San Francisco, nos Estados Unidos. Desde o ano passado, o Google constrói um prédio flutuante de quatro andares que atrai os curiosos e é alvo de especulações.

LEIA TAMBÉM: Google e Apple terão de pagar para manter ônibus fretados em San Francisco

"Ela precisa se movida," disse nessa segunda-feira (3) Larry Goldzband, diretor-executivo da Comissão de Conservação e Desenvolvimento da Baía San Francisco. A comissão investigou e descobriu que nem as autoridades da Treasure Island, uma ilha artificial da qual a embarcação está próxima, nem a cidade de San Francisco tinham pedido as licenças necessárias para as obras do Google na balsa, e que por isso a empresa pode levar multas e processos.

O espaço para a construção está sendo alugado com a Autoridade de Desenvolvimento de Treasure Island por US$ 79 mil por mês em um contrato previsto para terminar em agosto. Mirian Saez, diretor da entidade, disse que “não tinha a intenção de violar ou burlar o processo” e que vai tentar conseguir as licenças certas com a comissão.

O oficial Goldzband, por sua vez, disse que o Google pode resolver o problema movendo a balsa para uma área da Baía de San Francisco que permite obras. O Google afirmou que ainda está analisando a carta sobre as preocupações da Comissão a respeito do seu projeto secreto. Goldzband disse ainda que, segundo a empresa, a construção havia sido interrompida no final do ano passado para que a Guarda Costeira dos EUA pudesse analisar a construção e verificar se ela atende aos seus padrões.

O Google não fala a respeito do espaço que construiu em cima de uma balsa e diz que os planos podem mudar. Entretanto, documentos preliminares e uma declaração posterior da empresa sugerem que a embarcação seria um espaço interativo para pessoas aprenderem sobre tecnologia capaz de viajar e atracar em diferentes portos.

No início das obras, especulou-se que a balsa seria um local para festas, um centro de armazenamento de dados ou ainda uma loja para vender seus óculos inteligentes, o Google Glass.

O Google também está no centro de outra controvérsia na cidade de San Francisco sobre os ônibus fretados que a empresa, e várias outras, utilizam para transportar os trabalhadores do sul para o Vale do Silício. Alguns membros da comunidade dizem que os ônibus estão congestionando o trânsito. Em recente votação, a cidade decidiu cobrar por cada parada que os ônibus fretados fazem.

As informações são da AP.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.