Com o nome de "A Máscara", o sistema operava em segredo desde 2007 e atingiu mais de 380 alvos antes de parar suas operações

Reuters

Pesquisadores de um laboratório de softwares russo revelaram na última segunda-feira (10) um programa de espionagem cibernética operado num país de língua espanhola, tendo como alvo agências governamentais, empresas de energia e ativistas em 31 países.

LEIA TAMBÉM: Hackers podem ter acessado 1 milhão de cartões de crédito de loja dos EUA

Intitulada A Máscara, a campanha operava em segredo desde 2007 e atingiu mais de 380 alvos antes de parar suas operações.

A companhia não quis identificar o governo por trás do programa, mas afirmou que a operação é mais ativa em países como o Marrocos, Brasil, Reino Unido, França e Espanha.

O laboratório Kaspersky disse que a descoberta da campanha sugere que mais países tornaram-se adeptos da espionagem na internet. A empresa só tomou notícia da operação por uma invasão em seu próprio software.

A Máscara atingiu instituições governamentais, empresas de petróleo e gás e ativistas usando vírus desenvolvidos para roubar documentos, chaves de criptografia e outros arquivos confidenciais, assim como tomar o controle dos computadores infectados.

A operação infestou computadores que rodam os sistemas operacionais do Windows e Mac, pertencentes à Microsoft e Apple, respectivamente, além de smartphones com os sistemas Android, do Google e iOS, da Apple.

Reportagem de Jim Finkle e Joseph Menn.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.