Aparelho não é distribuído oficialmente no Brasil, mas pode ser encontrado em sites de leilão e comércio eletrônico

Sucesso na primeira versão, o tablet Nexus 7, resultado da colaboração entre Google e Asus, ganhou uma nova versão há alguns meses. Infelizmente, após o fiasco da primeira tentativa de trazer essa linha de tablets para o Brasil, ninguém mais fala sobre o assunto e são quase nulas as chances de ele chegar oficialmente ao país.

Veja testes do iPad Mini Retina , iPad AirMemoPad HD7 e outros tablets

Ainda assim, quem está a fim de um tablet com bom preço e excelente qualidade deve ficar de olho no Nexus 7. Nos Estados Unidos, ele pode ser comprado por cerca de R% 550. O aparelho também pode ser adquirido em sites de leilão e lojas de produtos importados. Confira o teste. 

A favor:

• Som estéreo de alta qualidade;
• Atualização para a mais nova versão do Android;
• Processamento de qualidade.

Contra:

• Não disponível oficialmente no Brasil;
• Não possui entrada para cartão de memória.

Design

Não há muito o que falar do visual da segunda geração do tablet da Google. Seguindo a tradicional forma retangular com cantos arredondados e cor preta, é possível até mesmo dizer que o primeiro modelo era mais jeitoso, graças à traseira emborrachada com textura de pequenos furos.

No Nexus 7 2013 a traseira também é emborrachada, mas possui acabamento liso, o que aumenta um pouco as marcas de gordura das mãos. Ainda assim, a grande palavra Nexus (no lugar de Asus, na primeira versão) na parte de trás tem um certo charme.

Na traseira também encontramos uma câmera, a marca da Asus e duas saídas de som, uma embaixo e outra em cima.

Novo Nexus 7 manteve posição dos botões da versão anterior
Stella Dauer
Novo Nexus 7 manteve posição dos botões da versão anterior

O lado direito traz os botões de energia e volume, além de um microfone (que fica no meio); a parte de cima comporta a conexão de áudio e a inferior traz somente a conexão micro USB (que, observando, está disposta de forma inversa ao que encontramos na maior parte dos aparelhos).

A frente é básica, e conta com a tela, câmera frontal, sensores e um LED de aviso na parte interior. Ele todo é leve, com apenas 290 gramas, e sua espessura é de menos de um centímetro, com 8,7 milímetros somente.

É possível segurá-lo com apenas uma mão, mas não interagir bem dessa maneira. Em resumo, o Nexus 7 é elegante, discreto e com ótimo acabamento, mas não há nele nenhuma inovação ou destaque em design.

Tela

Com confortáveis 7 polegadas, esse tablet traz tecnologia LCD LED IPS que não faz feio, ainda mais com a definição um pouco acima de Full HD, com 1200 x 1920 pixels e densidade de ótimos 323 ppp (a mesma do iPad mini Retina). Mesmo em ângulos mais abertos a tela exibe ótimas imagens.

A tela também é muito brilhante, tem cores equilibradas e bom contraste. O vidro possui tecnologia antirrisco Corning Gorilla Glass e, embora não seja perfeito, houve poucos danos em bom tempo de uso.

Veja aplicativos para assistir a vídeos em tablets com Android

A moldura ao redor da tela não é pequena, mas isso ajuda a evitar erros e toques errados quando você, por exemplo, estiver lendo no tablet e segurando-o com apenas uma mão. 

Para escrever, o melhor é usar um teclado sem fio ou teclar normalmente na tela. Ele até vem com o sistema de arrasto para escrever, mas a distância é grande, e você vai acabar se cansando. 

Hardware e processamento

Mesmo com preço médio atraente, a Asus e o Google não descuidaram do hardware do Nexus 7, e ele é poderoso para qualquer coisa. Com mais de sete meses desde seu lançamento mundial, ele não está mais entre os grandes em alguns benchmarks, mas ainda tem desempenho de respeito.

Nexus 7 tem processamento poderoso
Stella Dauer
Nexus 7 tem processamento poderoso

Seu processamento consiste em um chipset Qualcomm Snapdragon APQ8064 S4 Pro, com CPU quad-core Krait de 1.5GHz, 2GB de RAM e GPU Adreno 320. Um conjunto que obteve bons resultados no benchmark do Quadrant: foram 5342 pontos, o máximo do teste.

Já no AnTuTu, ele fez 20.582 pontos, longe de aparelhos como o Note 3 e o Z Ultra, mas similar ao smart Xperia Z. No Geekbench 3, marcou 1.872 pontos, enquanto que no Vellamo, que mede seu desempenho junto à navegação, foram 1564 pontos, abaixo do Galaxy S3, pouco satisfatório.

Para jogos, rodamos o app Epic Citadel em qualidade muito alta e ele chegou aos 35.3 fps. No benchmark 3DMark, ele obteve pontuação máxima no Ice Storm, e no Ice Storm Extreme e fez 7.041 pontos (o terceiro melhor), terminando no Ice Storm Unlimited com 10252 pontos, acima do Moto X.

Saiba como escolher o tablet ideal para você

Rodamos diversos jogos, entre eles os pesados e exigentes Dead Trigger 2 e Real Racing 3. Houve quase imperceptíveis lags e momentos de muito movimento no jogo de corrida, mas não com duração maior do que dois segundos, e nada que tenha prejudicado o jogo. Mesmo em situações de muito uso, ele não esquentou muito.

Em mais de um mês de uso, ele não travou e nem reiniciou uma vez sequer. Rodou perfeitamente em qualquer tarefa do dia-a-dia, como navegação, redes sociais, hangouts, jogos, conversas por vídeo, emails e outros.

Nas conexões sem fio, ele é quase completo. Embora haja uma versão com slot para chip SIM 3G/4G, o modelo testado foi o mais simples, e por isso não há essa conexão aqui. Entretanto, ele conta com WiFi 802.11 a/b/g/n dual band, WiFi hotspot, NFC, GPS com A-GPS e Bluetooth 4.0 com A2DP e LE.

Ficam faltando coisas não muito utilizadas como GLONASS, WiFi Direct, infravermelho e DLNA. Mas, pelo preço do aparelho, as opções de conexão são muito boas.

Sistema operacional e usabilidade

Quando foi lançado, a versão do Android no Nexus 7 2013 era a Jelly Bean 4.3. Hoje, o update do KitKat já chegou ao aparelho, e atualmente está na versão 4.4.2, a mais nova disponível.

Isso traz ao tablet todas as novidades do Google, como barra de notificações aprimorada, player de música que toma toda a tela de bloqueio, ícones redesenhados, toques longos para ativar algumas configurações, novos sons, unificação de SMS no app Hangouts, correções de bugs e melhorias de segurança.

Puro, o Android é sério e simples. Não há frescuras de visual, cores vivas, transições, animações e outras coisas que sugam memória e costumam ser usadas em personalizações do sistema da Samsung, LG, Sony e outras. 

Nexus 7 roda versão 4.4 do Android
Stella Dauer
Nexus 7 roda versão 4.4 do Android

A barra de notificações é um pouco transparente, mas a área de aplicativos tem fundo preto. É permitido organizar pastas de apps a atalhos na home, que comporta até cinco janelas. Na home também ficam widgets, e uma barra fixa na parte inferior da tela acomoda até seis aplicativos, mais o botão central.

Abaixo dela, fica a faixa com os botões padrão do Android, voltar, home e multitarefa. A barra de notificações é dividida em dois, com uma parte à esquerda trazendo as notificações e uma parte à direita com nove atalhos e a imagem do usuário logado (ele aceita mais de um usuário, com contas do Google diferentes).

As configurações incluem novas coisas, como o "Tocar e pagar", sistema de pagamento móvel baseado em NFC, que ainda não está em uso no Brasil. 

É possível bloquear a tela por padrão de desenho, PIN, senha ou até mesmo via reconhecimento de face. O sistema reconhece se tratar de um tablet, e permite que widgets e atalhos virem junto com o aparelho, quando está na posição horizontal.

Aplicativos

Por ter a versão pura do Android, o Nexus 7 2013 é relativamente econômico em aplicativos, com 30 deles. E esse número é praticamente apenas de títulos do próprio Google, seu pacote inteiro está presente.

É o básico, mas ele está pronto para uso. O player de vídeo não reproduz muitos formatos de vídeo, e é melhor baixar outro app. Mas, fora isso, o aparelo é bem completo em termos de aplicativos.

Câmera

Nunca espero muito da câmera de um tablet, uma vez que essa é de longe uma das funções menos usadas desse tipo de aparelho. Ainda assim, o Nexus 7 até que agrada.

Com sensor de 5 megapixel, foco automático, geotagueamento, foco por toque e detecção de faces, ele faz fotos boas em iluminação alta, mas granula com um pouco menos de luz. E não há nem flash para ajudar.

Veja aplicativos para melhorar fotos de celulares com Android

Para paisagens é uma câmera que quebra galhos, mas seu zoom digital não deve ser utilizado. Algumas fotos de ambientes também são boas, mas podem ficar ligeiramente enevoadas, ou começar a apresentar granulados na imagem ao menor sinal de sombra.

Em ambientes com bastante contraste de luz, como em uma apresentação em local fechado, ela também agradou. Já em ambientes menos iluminados no geral, manteve as cores e dá para enxergar bem o motivo, mas há muita granulação.

Câmera do Nexus 7 grava vídeos em Full HD
Stella Dauer
Câmera do Nexus 7 grava vídeos em Full HD

O vídeo é capturado em Full HD (1080p), e até que serviu bem. Não deve ser utilizado para filmagens mais importantes, mas fica super bem para redes sociais e registros rápidos. O vídeo é ligeiramente enevoado e granulado, mas mantém as cores, o foco, a acuidade e o som.

Na frente, há uma câmera de 1.2 megapixel que cumpre bem seu papel para chamadas em vídeo e até tem cores mais vibrantes que a câmera traseira. A interface é a mais simples possível, com poucos e concisos ajustes.

Esse visual puro do Google traz três botões na tela: o que define foto ou vídeo (e também panorama e foto esfera), o que dispara e inicia filmagens (e tira foto durante gravações) e o que mostra um mínimo menu para virar a câmera, ajustes e compensação de branco.

Nos ajustes você ativa ou desativa a geolocalização, timer, escolhe tamanho de imagem (para tirar fotos em wide, é preciso baixar os megapixel para 2), balanço de branco e cenas, que são cinco ao todo.

Essa simplicidade não tira a graça, uma vez que há o modo panorama e o interessante 360º, que forma uma imagem redonda de todo o seu redor, e pode ser vista em 3D no tablet e aberta como um panorama em outros dispositivos.

Música e mídia

Entretenimento com mídia é seu maior destaque, pois nisso a Asus caprichou. O som externo é um dos melhores já vistos em tablets até o momento, lembrando o antigo Motorola Xoom Music Edition. Suas duas saídas de som, uma de cada lado quando ele está na horizontal, são fantásticas.

A qualidade do estéreo surround é muito boa, a profundidade é cativante e qualquer jogo ou filme ficam muito bons quando o aparelho está em suas mãos, ou parado perto do seu rosto. Ele não vem com fones de ouvido na caixa, mas a conexão de áudio vai bem com boas marcas.

Se antes a conexão do fone de ouvido era na parte inferior do aparelho, para não atrapalhar conversas por vídeo, agora ela é na parte superior, o que na verdade não faz muita diferença.

Para filmes e jogos, a tela com definição Full HD e tecnologia IPS agrada e se junta bem à qualidade do som. 

Bateria e armazenamento

Contendo uma bateria não removível de 3950 mAh, a duração da carga não é nem impressionante e nem medíocre. O tablet teve bons números, chegando a mais de 48 horas em stand by, ligado mas sem uso.

Veja aplicativos para poupar bateria de aparelhos Android

Para o uso comum no dia-a-dia, com uma hora para cada atividade (leitura de livros, jogos, filmes, navegação, email, música via streaming) e WiFi ligado todo o tempo, ele chega às 24 horas com relativa folga.

No uso pesado de jogos e filmes – o que certamente irá acontecer –, esse número cai para 9 horas, ainda um bom resultado.

Como todo aparelho da linha Nexus, seja smartphone ou tablet, ele não possui slot para cartão de memória, e você fica refém do armazenamento interno. Esse não é pouco, e pode ser encontrado em versões de 16 GB ou 32 GB.

Aqui, no caso do de 16GB, sobram 12,2 GB para o usuário instalar apps, o que não é ruim. Para arquivos de música, vídeos e outros, tudo indica que a Google esteja empurrando o usuário para o uso de serviços na nuvem, inclusive do seu Google Drive.

O que vem na caixa

A caixa é extremamente sucinta, e faz jus ao seu preço mais em conta. Não há fones de ouvido, apenas alguns manuais, garantia, um cabo USB e um carregador de viagem, sem fio. 

Há diversos acessórios legais que podem ser comprados separadamente, como cases especiais, docks e até bases de carregamento por indução, já que o Nexus 7 pode ser recarregado por meio da tecnologia sem fio do padrão Qi.

Para quem é

Primeiro, é para quem pode e quer adquirir um por meios alternativos, seja no exterior ou em sites de compra e venda populares (pode ser encontrado com preços a partir de R$800, usado). É um tablet por um preço muito bom (nos EUA, a partir de aproximadamente R$ 550) e com configurações avançadas, mesmo com mais de seis meses de idade.

Seu processamento é bom, a qualidade da tela e do áudio são excelentes e a bateria tem boa duração. Está com a versão mais atual do sistema, e tudo indica que deve ter mais atualizações.

Seu único e verdadeiro porém é a indisponibilidade oficial no Brasil. De resto é um tablet que deixa praticamente 90% dos disponíveis no mercado brasileiro no chinelo.

Ficha técnica

ASUS Nexus 7 2013

Preço: US$ 230 nos Estados Unidos
Configuração: tela de 7 polegadas com resolução de 1200 x 1920 pixels, sistema Android 4.4.2 KitKat, processador Qualcomm Snapdragon APQ8064 S4 Pro quad-core Krait de 1.5GHz, 2GB de RAM, 16 GB de armazenamento interno, câmera de 5 megapixels, Wi-Fi 802.11 a/b/g/n dual band, WiFi hotspot, NFC, GPS com A-GPS, Bluetooth 4.0 e USB.
Dimensões: 20 x 11.4 x 0.87 cm
Peso: 290g
Autonomia de bateria: Até 48 horas em stand-by / Até 9 horas em conversação e internet
Itens inclusos: aparelho, guia rápido, carregador de viagem e cabo USB.

CONTINUE LENDO:

Na Finlândia, ex-funcionários da Nokia criam rival para Android

Nova imagem de suposto Android da Nokia vaza na web

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.