Projetos serão executados em conjunto com a GSMA, associação global de grandes operadoras de telefonia

Em evento realizado durante o Mobile World Congress 2014 , o ministro das Comunicações Paulo Bernardo assinou um acordo entre o Brasil e a GSMA, associação que reúne grandes operadoras internacionais de telecomunicações. 

MAIS DO MWC 2014:
Samsung lança pulseira com tela sensível ao toque
Android com foco em segurança, Blackphone chama atenção no evento

O acordo prevê uma série de medidas de colaboração entre as operadoras brasileiras e empresas de telecom globais. As ações previstas no acordo serão centralizadas em três áreas: o combate à distribuição de mensagens não solicitadas (spam) em celulares, medidas para diminuir furto e roubo de celulares e medidas para proteção dos direitos de crianças.

Segundo a GSMA, o Brasil é o segundo no ranking de celulares furtados e roubados, com mais de 1 milhão de unidades roubadas por ano. Para combater o problema, o acordo prevê o compartilhamento de informações entre operadoras brasileiras e estrangeiras. As operadoras vão compartilhar os códigos únicos de identificação (IMEI) dos aparelhos roubados. Com esses códigos bloqueados, os aparelhos em tese se tornam inúteis, embora os criminosos possuam meios de burlar esse bloqueio

VEJA TAMBÉM: Lançamentos da Samsung no MWC 2014

Número para identificar spam

Para diminuir o problema do spam, será criado um número que receberá mensagens suspeitas e analisará seu conteúdo. Bastará enviar o SMS com conteúdo suspeito para o número *7726 para que um serviço das operadoras analise se ele é um spam ou não. A mensagem também é acrescentada a um banco de dados que pode ser acessado por todas as operadoras.

Sobre os direitos das crianças, as operadoras enviarão mensagens para seus clientes divulgando os serviços nacionais SaferNet e Disque 100, que atuam na proteção de privacidade dos usuários da internet e de serviços de telefonia celular.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.