Jan Koum responde aos rumores e especulações de que o serviço vai mudar suas políticas com a compra pelo Facebook

Koum e Acton, os criadores do Whatsapp
Divulgação/Sequoia Capital
Koum e Acton, os criadores do Whatsapp

O fundador do WhatsApp, Jan Koum, usou o blog do seu popular serviço de mensagens para dizer que o respeito à privacidade está codificado no DNA do aplicativo. Desde que o WhatsApp foi comprado pelo Facebook por um total de US$ 19 bilhões muito se tem especulado sobre o futuro do aplicativo e de suas atuais políticas.

LEIA MAIS: Agora bilionário, criador do WhatsApp foi faxineiro e recebeu assistência social

Segundo Koum, se a parceria com o Facebook exigisse mudanças nas questões de privacidade do WhatsApp, o acordo não teria sido feito. Ele afirma ainda que tudo que fez do WhatsApp um líder em mensagens continuará vigorando e acusa os responsáveis pelos rumores de assustarem as pessoas com informações sem fundamento.

No texto publicado nesta terça-feira (18), Koum diz que o WhatsApp foi construído para saber o mínimo possível do usuário. “Você não tem que nos dar o seu nome e nós não pedimos o seu endereço de e-mail. Nós não sabemos o seu aniversário. Nós não sabemos o endereço da sua casa. Nós não sabemos onde você trabalha. Nós não sabemos seus gostos, o que você procura na internet ou recolhemos sua localização por meio de um GPS. Nenhum desses dados jamais foi coletado e armazenado pelo WhatsApp, e nós realmente não temos planos de mudar isso”.

Koum contou ainda um pouco da sua história para justificar tamanha preocupação. “Para mim, isso é muito pessoal. Nasci na Ucrânia e cresci na URSS durante a década de 1980. Uma das minhas lembranças mais fortes desse tempo é uma frase que eu ouvi muitas vezes enquanto minha mãe falava ao telefone: ‘esta não é uma conversa para se ter ao telefone, vou lhe dizer pessoalmente’. O fato de que não poderíamos falar livremente sem temer que nossas comunicações estivessem sido monitoradas pela KGB foi em parte responsável por termos nos mudado para os Estados Unidos quando eu era adolescente”.

    Leia tudo sobre: facebook aplicativo
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.