Segundo dados da empresa de segurança, 10% dos hardwares brasileiros ainda rodam Windows XP, lançado em 2001

Windows XP foi lançado em 25 de outubro de 2001
Divulgação
Windows XP foi lançado em 25 de outubro de 2001

A 14 dias do fim do suporte ao Windows XP, a Kaspersky Lab, uma das maiores empresas de segurança do mundo, divulga algumas recomendações sobre a versão de 2001 do sistema operacional da Microsoft. Segundo dados obtidos pela Kaspersky Security Network, o uso do Windows XP em hardwares do Brasil durante os últimos 30 dias é de mais de 10%.

LEIA TAMBÉM: Cinco respostas sobre o fim do suporte ao Windows XP

Para o diretor do grupo de pesquisa e análises para a Kaspersky Lab na América Latina, Dmitry Bestuzhev, os hackers certamente vão explorar o fim do suporte ao XP a partir do dia 8 de abril.

“Sem dúvida, os criminosos criarão exploits [porção de dados ou uma sequência de comandos] para comprometer as máquinas, aproveitando suas vulnerabilidades. Em outras palavras, os cibercriminosos poderão explorar sem obstáculos qualquer vulnerabilidade no Windows XP ou componentes que encontrarão depois do dia 8 de abril de 2014, e o sistema operacional não terá nenhum patch [programa criado para atualizar ou corrigir um software] oficial para detê-los”, afirma em comunicado enviado à imprensa.

Conforme explica Bestuzhev, provedores de outros programas também devem deixar de dar apoio para soluções desenvolvidas para o XP. Vale lembrar que o fim do suporte ao XP coincide também com o fim do suporte ao Office 2003, também da Microsoft . Deste modo, os usuários não só terão um sistema operacional vulnerável, mas também aplicações externas vulneráveis, o que multiplica as possibilidades de infecção e aumenta o risco de que os cibercriminosos consigam informações confidenciais de suas vítimas. “Na realidade, é um efeito em cadeia que não se pode solucionar sem que os usuários migrem para uma versão mais nova do Microsoft Windows”, afirma Bestuzhev.

Segundo o especialista, a maior preocupação é com as pequenas e médias empresas, uma vez que a migração para novas plataformas implica em um forte investimento. Além disso, de acordo com ele, a segurança dos caixas eletrônicos é um problema em todos os países do mundo, já que a maioria ainda roda com os sistemas operacionais vinculados ao Windows XP.

De acordo com a Microsoft, citada pela Kaspersky em comunicado, os usuários de XP são infectados três vezes mais que os usuários do Vista ou Windows 7 e dez vezes mais que os que usam Windows 8. Isso se deve aos mecanismos de proteção obsoletos do XP e a falta de atualização, já que os criminosos costumam utilizar as vulnerabilidades conhecidas, isto é, sem resolução que encontram nos equipamentos de suas vítimas.

O que fazer?

A Kaspersky Lab aconselha que os usuários de Windows XP:

1) Instale uma versão mais atualizada do Windows que, de preferência, seja de 64 bits, já que esta arquitetura é a mais robusta frente aos ataques;
2) Atualize o sistema operacional através do Windows Update e o mantenha sempre assim;
3) Instale o melhor produto de segurança, um que seja capaz de proteger contra as ameaças de malware, exploits e outros ataques de código maliciosos;
4) Mantenha sempre atualizados Java, Adobe Flash, Adobe Flash Player e todos seus navegadores;
5) De preferência, trabalhe na máquina com os direitos do usuário limitado em vez de administrador.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.