Kaspersky e McAfee dão dicas de como se proteger de ameaças comuns em época de declaração do Imposto de Renda

Buscadores como Google e Bing podem destacar links para programas falsos de declaração de Imposto de Renda
Divulgação
Buscadores como Google e Bing podem destacar links para programas falsos de declaração de Imposto de Renda

Faltando pouco mais de 20 dias para o fim do prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda, duas gigantes da segurança da informação, Kaspersky e McAfee, alertam os usuários para os golpes digitais, muito comuns nesta época.

VEJA TAMBÉM: Tire suas dúvidas sobre Imposto de Renda 2014

Conforme explica a McAfee em comunicado, a prática da declaração online é conveniente, mas traz alguns possíveis problemas de segurança tanto para consumidores quanto para empresários de pequeno e médio porte, potenciais alvos de hackers. Neste ano, de acordo com a Kaspersky, não está sendo diferente. Além disso, os sistemas móveis presentes nos smartphones também estão na mira dos cibercriminosos.

Veja a seguir os golpes digitais relacionados à declaração online e como se proteger:

Phishing:  como o nome propõe, phishing (termo oriundo do inglês, fishing , que quer dizer pesca) é a tentativa do fraudador de "pescar" informações pessoais de usuários desavisados ou inexperientes. Se você receber um e-mail inesperado que pareça vir da Receita Federal, ou de algum órgão semelhante, solicitando informações pessoais (especialmente informações de contas bancárias, senhas ou identificações PINs), ou ainda alegando que sua declaração foi retida, pode estar sendo vítima de um golpe de phishing.

Os temas dessas mensagens falsas que chegam por e-mail são os mais variados: informam sobre supostas intimações, números de protocolos de entrega da declaração, links de download do programa ou notificações de débitos que não existem. O objetivo é sempre o mesmo: forçar o usuário a baixar e executar um programa, cuja finalidade será apenas de instalar um trojan bancário na máquina da vítima. Trojan é um programa malicioso que age como a história do Cavalo de Troia, entrando no computador e liberando uma porta para uma possível invasão.

A Receita Federal nunca se comunica com os contribuintes por e-mail, mensagens de texto ou mídias sociais, por isso, é importante não clicar em nenhum link nem abrir ou baixar qualquer anexo caso haja suspeita de que a mensagem seja falsa.

Downloads de programas falsos: outra ameaça se apresenta na hora de buscar o download do programa da Receita Federal, visto que cibercriminosos se valem de links patrocinados em sites de buscas como o Google ou o Bing para colocar sites fraudulentos nas primeiras posições. É fácil encontrar sites fraudulentos oferecendo o download de programas suspeitos, que se passam pelo programa verdadeiro.

De acordo com Fabio Assolini, analista de segurança da Kaspersky no Brasil, esses golpes “são bastante recorrentes e acontecem todos os anos porque sua efetividade é certa, nenhum cibercriminoso insiste em temas de ataques que não lhe dê retorno". Por isso, na hora de baixar o software de declaração do imposto o contribuinte deve evitar buscar o instalador em sites de pesquisa, bem como evitar usar sites de downloads. O mais seguro é ir diretamente ao site oficial: receita.fazenda.gov.br e lá buscar o instalador.

Além disso, neste ano, os contribuintes podem fazer a declaração do imposto a partir de dispositivos móveis, smartphones ou tablets que rodam iOS, da Apple, ou Android. Por isso, é importante estar atento para não baixar aplicativos falsos e evitar as lojas não oficiais de aplicativos. Baixe apenas programas da App Store, da Apple, e da Google Play, loja do sistema Android.

Falsos agentes da Receita Federal: com frequência, golpistas se passam por agentes da Receita Federal e entram em contato por e-mail ou telefone. Normalmente, eles já possuem alguns detalhes sobre você, provavelmente extraídos da sua página do Facebook, e usam essas informações para convencê-lo de que se trata de um procedimento oficial. Nesses casos, desconfie, e acesse o site oficial da Receita Federal para esclarecer dúvidas e obter orientações.

Não passe informações pessoais pelo telefone, por e-mail ou pela internet, a menos que você tenha entrado em contato e tenha certeza do destinatário.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.