Tocador de fita-cassete dá nome a reprodutor de MP3 e serviço de streaming de música da Sony

O icônico Walkman amarelo da década de 1990 foi, na verdade, lançado em 1988
Free Photos e Art/Flickr/Divulgação
O icônico Walkman amarelo da década de 1990 foi, na verdade, lançado em 1988

Muito antes do streaming de música e do próprio iPod, da Apple, houve um tempo em que a Sony reinava no mundo dos reprodutores de áudio. Nesta terça-feira, 1º de julho, seu saudoso Walkman celebra 35 anos. Fora de mercado, é verdade.

Segundo o The Verge , a primeira versão do toca-fitas cassete portátil e icônico da Sony foi lançada neste dia no ano de 1979 por US$ 150. A ideia do produto nasceu do desejo do cofundador da Sony, Masaru Ibuka, de escutar ópera de uma forma mais portátil do que com os leitores de cassetes TC-D5 existentes na época. A tarefa ficou a cargo do design Norio Ohga, que criou um protótipo do que seria o gravador Pressman da Sony a tempo do próximo voo de Ibuka.

Depois de um primeiro mês decepcionante em vendas, o Walkman se tornou uma das marcas de maior sucesso da Sony em todos os tempos. E, durante alguns anos, o aparelho foi capaz de acompanhar a transição formatos: rodou CD, Mini-Disc, MP3 e agora o streaming de música.

De acordo com o The Verge, mais de 400 milhões de tocadores portáteis de música Walkman foram vendidos, sendo que 200 milhões deles eram da versão para fita-cassete. O clássico da fita-cassete foi retirado do mercado em 2010, o que obrigou a Sony a pagar uma enorme quantia para o inventor original do leitor de cassetes portátil, Andreas Pavel. E, ainda que não exista mais um aparelho físico – muito embora a Sony tenha tentado –, o nome Walkman sobrevive na forma de novos leitores de MP3 e MP$ e no aplicativo de músicas da Sony.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.