Associação de Internet criticou a possibilidade de provedores de internet cobrarem provedores de conteúdo "por acesso prioritário ou aprimorado"

Reuters

EUA discute a neutralidade da rede
Reprodução
EUA discute a neutralidade da rede

As principais empresas de internet dos Estados Unidos pediram a reguladores nesta segunda-feira (14) que restrinjam a capacidade dos provedores, incluindo operadoras móveis, de fechar acordos para entrega mais rápida de tráfego na web e planejam uma campanha publicitária sobre a proposta estatal de neutralidade da rede.

LEIA MAIS: Em novo site, Google classifica qualidade de entrega de vídeos por provedores

A Associação de internet, que representa 36 companhias do setor como Google, Netflix e Amazon.com, se defendeu em um documento na Comissão Federal de Comunicações (FCC, na sigla em inglês), que planeja estabelecer novas regras da chamada "neutralidade da rede".

As regras direcionam como os provedores de serviço de internet gerenciam o tráfego em suas redes, querendo assegurar que não limitariam injustamente o acesso dos clientes em sites e aplicativos.

Em janeiro, uma decisão judicial derrubou uma versão prévia da FCC sobre tais regras. A agência está agora coletando comentários públicos sobre a proposta que proibiria prestadores de internet de bloquear acesso de usuários a sites ou aplicativos, mas permitir alguns acordos "razoavelmente comerciais" entre provedores de conteúdo e de internet de priorizarem a entrega de algum tráfego.

Em seus comentários nesta segunda-feira (14), a Associação de Internet criticou a possibilidade de provedores de internet cobrarem provedores de conteúdo "por acesso prioritário ou aprimorado" e pediu regras igualitárias de tráfego de Internet das redes com e sem fio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.