Veículos autônomos podem usar GPS, radares, sensores ultrassônicos para detectar objetos perto de carros para medir a rotação das rodas e, assim, ajudar na localização exata

BBC

O repórter da BBC Jon Ironmonger foi convidado para testar um protótipo de um carro que não precisa de motorista.

O passeio foi acompanhado por um engenheiro da empresa responsável pelo veículo, mas que nem encostou as mãos na direção.

O repórter admite que se sentiu um pouco nervoso nas curvas, mas achou o carro bem estável, mesmo quando a velocidade aumentava um pouco.

O governo britânico anunciou que vai permitir que carros desse tipo rodem em suas estradas a partir de janeiro do ano que vem.

Ministros britânicos já solicitaram uma revisão da legislação rodoviária, para que ela seja adaptada aos novos carros.

Autoridades também convidaram cidades britânicas para participarem de uma competição para abrigar os primeiros testes dos carros. As cidades interessadas têm até o mês que vem para se inscreverem formalmente. Um fundo de 10 milhões de libras foi criado para cobrir os custos dos projeto – valor a ser dividido entre as três cidades vencedoras.

O repórter da BBC Jon Ironmonger foi convidado para restar um protótipo de um carro que não precisa de motorista
BBC Brasil
O repórter da BBC Jon Ironmonger foi convidado para restar um protótipo de um carro que não precisa de motorista

Como funcionam?

Há diferentes tipos desse tipo de carro, que oferecem graus variados de autonomia.

Mas o termo geralmente é usado para se referir a veículos capazes de dirigir, acelerar e brecar durante todo ou quase todo o percurso entre dois pontos, mais ou menos da maneira como os aviões funcionam no piloto automático.

Mas diferentemente dos céus, no entanto, as rodovias são muito mais lotadas e uma serie de tecnologias estão sendo desenvolvidas para lidar com isso.

Uma das principais inovações é um sistema chamado Lidar, que mede como lasers ricocheteiam em superfícies refletivas e captam informações sobre os milhões de pontos que envolvem o veículo a cada segundo. Essa tecnologia já vem sendo usada na criação de mapas online pelo Google e pela Nokia.

Veículos autônomos também podem usar GPS, radares, sensores ultrassônicos para detectar objetos perto de carros e outros sensores para medir a rotação das rodas e, assim, ajudar na localização exata.

O debate agora é sobre permitir carros, como o protótipo do Google, que abandonam totalmente controles como direção e pedais de freio ou veículos que necessitem que um passageiros esteja pronto para reassumir a direção

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.