Saída do mercado de e-readers é mais um passo da profunda restruturação da empresa

Nesta semana, a Sony anunciou que deixará de produzir leitores de livros digitais (e-readers) para mercados fora do Japão. A empresa foi uma das pioneiras nesse setor, mas vinha enfrentando dificuldades para concorrer com o Kindle, da Amazon, e outros leitores. 

LEIA TAMBÉM:
Saraiva lança no Brasil o e-reader Lev

E-readers da Sony serão vendidos apenas no Japão
Getty Images
E-readers da Sony serão vendidos apenas no Japão

Em comunicado enviado à BBC , a Sony afirma que o modelo PRS-T3 não terá sucessores e que as vendas serão encerradas após o esgotamento dos últimos lotes do produto.

Há poucos meses, a Sony já havia começado a direcionar os usuários de suas lojas de livros para a loja de livros dos e-readers Kobo. Os e-readers da Sony não chegaram a ser lançados oficialmente no Brasil.

A notícia da saída do mercado de e-readers não é surpresa para quem acompanha as notícias mais recentes da Sony. A empresa passa por uma profunda restruturação e recentemente deixou também o mercado de notebooks , vendendo a marca Vaio e fábricas para um fundo de investimento japonês.

Além da restruturação, a dificuldade em concorrer com a Amazon e a queda de preço de tablets e smartphones também colaboraram para a saída do mercado de e-readers. Com a concorrência cada vez maior de tablets e smartphones, o e-reader vem se tornando cada vez mais uma categoria de nicho, pouco atraente para uma empresa global do porte da Sony. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.