Aparelhos voltados aos mercados emergentes foram otimizados por fabricantes com ajuda do Google

Nesta segunda-feira (15), o Google lançou na Índia os primeiros smartphones do projeto Android One por cerca de 6.399 rúpias, em torno de US$ 105 dólares, cerca de R$ 250. Com o Android One, o Google espera diminuir as barreiras de hardware, software e conectividade que existem em mercados emergentes. Além disso, pretende capturar o segmento de baixo custo no mercado de smartphones de mais rápido crescimento do mundo, a Índia.

Com o Android One, o Google espera diminuir as barreiras de hardware, software e conectividade que existem em mercados emergentes
REUTERS/Anindito Mukherjee
Com o Android One, o Google espera diminuir as barreiras de hardware, software e conectividade que existem em mercados emergentes

Segundo post de Sundar Pichai, vice-presidente sênior para Android e Chrome no blog da empresa , o objetivo do Android One é derrubar algumas barreiras que ainda hoje dificultam o acesso de pessoas de baixa renda a aparelhos de qualidade. Segundo o executivo, existem três grandes desafios: o primeiro é o próprio hardware, que tornam os smartphones caros. O segundo é que muitas pessoas não têm acesso a mais recente versão do Android e aos seus aplicativos populares. Por fim, mesmo onde as redes 3G e 4G estão disponíveis e as pessoas possuem aparelhos compatíveis, os planos de dados ainda são muito caros.

Foi por isso que a empresa baseada em Mountain View fez um acordo com as empresas do segmento móvel indianas Micromax, Karbonn e Spice Mobiles e com a fabricante de processadores Media Tek para lançar os telefones acessíveis, que utilizam seu sistema operacional.

Além disso, para simplifcar o processo de atualização do sistema operacional, a operadora de telefonia móvel Airtel irá fornecer aos seus clientes atualizações gratuitas para usuários do Android One, garantindo que todos terão a oportunidade de atualizar o software. De acordo com o Google, todos os dispositivos Android One terão sempre a última versão do Android, o que significa que irão receber a nova versão L, quando ela for lançada no fim deste ano. 

Nas próximas semanas, a empresa irá disponibilizar um recurso que permitirá ao usuário assistir a maior parte dos vídeos do YouTube offline. Outros destaques dos aparelhos do Android One são o rádio FM, a bateria substituível, a memória expansível e opção de dois chips.

Depois de ser lançado na Índia, o Google disse que planeja expandir o Android One para Indonésia, Filipinas, Paquistão, Bangladesh e Nepal até o final de 2014 e em mais países em 2015.  O Google também anunciou novos parceiros para o Android One: Acer, Alcatel, Auss, HTC, Intex, Lava, Lenovo, Panasonic, Xolo e Qualcomm.

A Índia é vista como um mercado lucrativo para smartphones de baixo custo porque muitas pessoas estão comprando os dispositivos pela primeira vez. Apenas 10% da população da Índia possui um smartphone atualmente, segundo a corretora Nomura em um recente relatório, e esse número deverá dobrar nos próximos quatro anos.

*com informações da Reuters.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.