Acessório do Baidu fornece informações a partir de imagens captadas por uma câmera

Um dos gigantes da internet chinesa, o Baidu é mais conhecido por sua ferramenta de busca. A empresa tem cerca de 80% do mercado de buscas na China e recentemente estreou sua versão em português no Brasil.

LEIA TAMBÉM: Rival do Google, buscador chinês Baidu estreia serviço no Brasil

Pouco se sabe que a empresa trabalha também em uma série de projetos inovadores, e um exemplo disso é o BaiduEye, acessório que reconhece objetos físicos e fornece mais informações sobre eles. A ideia é usar a computação em nuvem para fornecer mais dados sobre objetos do dia a dia, de forma similar ao que faz o aplicativo Google Goggles, e ao recurso FireFly, do smartphone Fire Phone, da Amazon.

Em essência, o BaiduEye tem uma armação similar a de um óculos que possui uma câmera, um microfone e um fone de ouvido. Mas, ao contrário dos óculos, o acessório é usado na parte de trás da cabeça, pois não tem nenhuma lente ou tela. Suas hastes, porém, prendem na orelha. Para fazê-lo funcionar, basta olhar para o objeto e usar comandos de voz.

Depois de acionado, o BaiduEye grava a imagem do objeto em frente à câmera e a envia para os servidores do Baidu. A imagem é então reconhecida e o usuário recebe mais informações sobre o objeto pesquisado por meio do fone de ouvido.

Acessório ajuda usuário a encontrar mais informações sobre uma bolsa, por exemplo, e envia para o smartphone até o link de compra
André Cardozo/iG
Acessório ajuda usuário a encontrar mais informações sobre uma bolsa, por exemplo, e envia para o smartphone até o link de compra

Em demonstração realizada na sede do Baidu, em Beijing, na China, a equipe do BaiduEye demonstrou algumas situações em que o acessório seria util. O BaiduEye pode, por exemplo, reconhecer uma bolsa e mostrar no smartphone do usuário acessórios parecidos, já com o link da compra.

O aparelho é capaz de reconhecer espécies de flores e outras plantas e fornecer mais informações sobre elas. O acessório também poderia ser usado, por exemplo, em museus, para fornecer mais dados sobre pinturas e outras obras para os visitantes.

O atual protótipo do BaiduEye foi criado em três meses. O produto ainda não tem data para chegar ao mercado, mas, segundo a equipe responsável, isso não deve demorar. A ideia é lançar o acessório em conjunto com uma grande loja de roupas da China. O BaiduEye seria usado para criar uma experiência de compra diferenciada.

*O jornalista viajou a Beijing a convite do Baidu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.