Site movimentava US$ 8 milhões com venda de produtos ilegais

Em outubro de 2013, uma operação do FBI fechou o site Silk Road , considerado o maior mercado de compra e venda de drogas e armas da "dark web", como é chamada a parte da internet que só pode ser acessada por meio de mecanismos de proteção à privacidade, como o Tor. Nessa operação, o americano Ross Ulbricht, acusado de ser o dono do site, foi preso e atualmente aguarda julgamento. 

Não demorou muito porém, para que um novo site surgisse no lugar do Silk Road original. O "Silk Road 2" manteve o design e os recursos do original e, mais importante, continuou como ponto de encontro para compradores e vendedores de drogas, armas, passaportes falsos e outros produtos ilegais.

Blake Benthall é acusado de chefiar o Silk Road 2
Reprodução/Facebook
Blake Benthall é acusado de chefiar o Silk Road 2

Nesta semana, porém, a aventura dos donos do novo Silk Road chegou ao fim. Uma nova operação do FBI fechou o novo Silk Road e prendeu o líder do site, noticiou o Ars Technica .

Segundo as autoridades, ele é o programador americano Blake Benthall, de 26 anos e morador de San Francisco. O FBI afirma que somente em outubro o site movimentou US$ 8 milhões em vendas de produtos ilícitos, com lucro de US$ 400 mil (a equipe do Silk Road 2 ganhava dinheiro com uma comissão de 5% sobre as transações do site).

Investigação durou um ano

O FBI acompanhou o surgimento do Silk Road 2 em novembro do ano passado, um mês após o fechamento da primeira versão. Um agente se infiltrou nos fóruns de discussão sobre a criação de um novo site e conseguiu uma vaga na equipe de manutenção do Silk Road 2.

Aos poucos, o agente ganhou mais privilégios dentro do grupo de administradores e finalmente conseguiu acesso ao servidor principal. A partir daí, o FBI descobriu que DefCon, o líder do site, usava o email "blake@benthall.net". Rastreando o e-mail, os agentes chegaram a Blake Benthall, que foi preso nesta quarta-feira. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.