Tamanho do texto

Em fase de expansão, empresa chinesa deve vender seus aparelhos no País somente em 2015

Em abril deste ano, Lei Jun, CEO da chinesa Xiaomi, havia afirmado que a fabricante de smartphones passaria a atuar em dez novos países ainda este ano , e o Brasil estava na lista. Os planos da empresa, porém, foram adiados e a Xiaomi só deve começar a vender smartphones no Brasil em 2015.

LEIA TAMBÉM: Conheça a Xiaomi, empresa chinesa com "jeitão" de Apple

Hugo Barra lidera expansão internacional da Xiaomi
Reuters
Hugo Barra lidera expansão internacional da Xiaomi

Em evento realizado na Índia, o brasileiro Hugo Barra, diretor de expansão internacional da Xiaomi, declarou ao Financial Post que a Xiaomi reduziu seus planos de expansão para este ano.

"Nosso foco é atuar um mercado de cada vez. No início desse ano dissemos que estaríamos em dez mercados até o fim de 2014. Mas percebemos que, se quisermos manter nosso foco, teríamos que concentrar esforços em menos regiões", afirmou o executivo.

A Xiaomi começou sua expansão internacional este ano e já vende smartphones na Índia, Cingapura, Malásia, Filipinas e Indonésia. O Brasil está na lista dos países que devem receber os aparelhos da empresa no próximo ano. 

A Xiaomi já tem escritórios em São Paulo, mas ainda não se sabe nada sobre a operação da empresa no Brasil. A Foxconn, parceira da Xiaomi na fabricação de celulares na China, tem fábricas também no Brasil e poderia então ser a responsável pela produção dos smartphones.

FOTOS: a Xiaomi em imagens