Satélite Europeu de Retransmissão de Dados (ERDS, na sigla em inglês) permitirá a transmissão mais rápida e mais segura de grandes quantidades de dados

Reuters

Um satélite europeu transmitiu na sexta-feira imagens para a Terra usando uma nova tecnologia de comunicação baseada em laser e abrindo caminho para a visualização ininterrupta e quase instantânea de desastres naturais por governos e organizações de ajuda.

LEIA MAIS: Tráfego de dados móveis subirá 11 vezes no Brasil até 2018, diz Cisco

As imagens eram um teste de uma conexão espacial de dados de € 450 milhões (US$ 562 milhões) que está sendo construída. Chamado de Satélite Europeu de Retransmissão de Dados (ERDS, na sigla em inglês), ele permitirá a transmissão mais rápida e mais segura de grandes quantidades de dados, como fotos e imagens de radares, de e para a Terra.

Ele é visto como particularmente útil para monitorar danos causados por enchentes e terremotos em tempo real.

"Atualmente, um satélite faz o download de dados que captura quando tem linha de visão para uma dentre quatro estações em solo na Terra", disse à Reuters o chefe do Serviço de Coordenação e Planejamento do Programa de Observação da Terra da Agência Espacial Europeia, Josef Aschbacher, antes da transmissão desta sexta-feira.

"Isso significa que pode haver lacunas de 45 a 90 minutos da visibilidade de uma estação a outra", disse ele.

Quando for concluído, o ERDS eliminará estes pontos cegos usando dois satélites, que serão lançados em 2015 e 2016 equipados com tecnologia de laser, para enviar e receber dados da Terra ou entre satélites a uma taxa de 1,8 gigabit por segundo.

Isso é o equivalente a enviar todos os dados que podem ser impressos a partir de uma estante de livros com um metro de comprimento em um segundo, de acordo com medidas geralmente aceitas no setor de telecomunicações.

Na transmissão da sexta-feira, um satélite lançado como parte do projeto europeu Copernicus em abril, o Sentinel-1a, enviou imagens a uma distância de 36 mil quilômetros para o satélite de comunicações Alphasat, da Inmarsat, que retransmitiu o sinal à Terra.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.