Investigação do FBI conclui que governo norte-coreano ordenou ataque que paralisou empresa

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (19), o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou que o governo da Coreia do Norte é o responsável pelos ataques de hackers contra a Sony Pictures. Segundo Obama, a conclusão é fruto de uma investigação do FBI. A agência colaborou com a Sony Pictures na investigação dos ataques e, segundo Obama, tem provas do envolvimento do governo norte-coreano.

LEIA TAMBÉM:
Ataque de hackers gera prejuízo de US$ 100 milhões para Sony Pictures

Segundo o FBI, três pontos ligam os ataques ao governo da Coreia do Norte:

- Uma análise técnica do código do vírus usado no ataque revelou que ele se parece muito com outros vírus usados em ataques anteriores por grupos ligados à Coreia do Norte. Segundo o FBI, há linhas de código idênticas.

- Os servidores usados no ataque foram usados pelo governo da Coreia do Norte em atividades anteriores, segundo o FBI. Diversos endereços IP usados nos ataques fazem parte de serviços e equipamentos usados pela Coreia do Norte. 

- As ferramentas usadas no ataque se parecem muito com as usadas em outros ataques de março, contra bancos e outras empresas da Coreia do Sul. Segundo o FBI, esses ataques também foram organizados pela Coreia do Norte.

Filme teria motivado ataques

Há algumas semanas, a Sony Pictures foi vítima de um ataque de hackers devastador. A ação dos invasores paralisou computadores da empresa por vários dias . Além disso, os hackers acessaram dados pessoais de funcionários e dados financeiros da empresa. Esses dados foram publicados na internet, juntamente com filmes da Sony que ainda não haviam sido lançados.

Um grupo chamado Guardiões da Paz assumiu a responsabilidade pelo ataque e afirmou que o motivo foi o filme "A Entrevista". Na comédia, dois jornalistas planejam executar o líder norte-coreano, Kim Jong-un. Após os ataques, a Sony cancelou o lançamento do filme

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.